_______________________________________________________

domingo, 30 de julho de 2017

MUNDO dos CÉUS






“No céu, saber é ver; 
na Terra, é recordar.”        






“O céu é nossa natureza absoluta, que não tem barreiras nem limites, e o chão é nossa realidade, nossa condição ordinária e relativa. A postura tomada por nós ao meditar significa que estamos unindo o absoluto e o relativo, a abóboda celeste e o chão, céu e terra, como as duas asas de uma ave, integrando a imortalidade celeste da natureza da mente e o solo da nossa natureza transitória e mortal.”   (Sogyal Rinpoche)






“Até as mais elevadas questões de nossas vidas devem ser resolvidas com os pés na Terra.”   (Heber Salvador)







“Somente para termos uma ideia de como a vida, na Terra, está fican­do interessante e inusitada, compartilharei uma experiência que vivenciei em um destes encontros de missionários conscientes de parte do plano evolutivo para este planeta. Estando hospedado em um quarto triplo de hotel, naquele encontro de final de semana de lua cheia, pois aqueles en­contros orientados pelos Mestres Ascensionados da Terra eram sincroniza­dos com as energias cósmicas potencializadas pela lua, resolvi investigar o alcance da consciência desperta daqueles dois seres missionários que dividiam a hospedagem daquele quarto comigo. Simplesmente perguntei a eles, sem entremeios, de onde eles tinham vindo do mundo dos céus, ou seja, quais as suas origens cósmicas. Assim como um ser terreno não se intimida em afirmar que é canadense, italiano ou brasileiro, por exemplo, o primeiro me respondeu prontamente que era venusiano e o segundo pleiadiano. Ambos são terapeutas e fazem parte de uma missão importan­te para a transição da Terra e filiação do planeta à Confederação Interga­láctica, agindo diretamente nos portais planetários. Da mesma forma, tenho contato com outros inúmeros seres des­pertos que já se assumiram cosmicamente e com outros que ainda estão receosos das consequências de tal ato, diante uma civilização tão pre­conceituosa e despreparada como ainda é a humana terrena. Indepen­dente disto tudo, necessitamos compreender, em profundidade, que somos de onde estamos. Se estamos na Terra, neste momento, é porque somos terráqueos em alguma proporcionalidade, ou pelo menos ‘estamos’ ter­ráqueos, enquanto habitantes deste belo planeta [...] Viver o mundo dos céus, nos chãos da Terra, nada mais é do que renovar o olhar sobre os mesmos elementos com os quais já nos relacio­namos em nossas atuais rotinas. É apenas redimensionar a visão holís­tica, sobre os mais variados reinos, expandido-a num sentido vertical e unificando-a na horizontalidade da imanência terrena. Esta prática nos reativa, engrandece a vida e atrai, automaticamente, energias elevadas para as nossas auras individuais. O convite é para continuarmos sendo ter­renos, porém com um pouco mais de sabedoria, conectados ao restan­te do Universo, abrindo estas conexões nos portais internos existentes dentro de nós mesmos. Pois talvez, já esteja passando do tempo de olharmos com mais seriedade e inteligência as realidades que nos fa­zem uno para com a Fonte.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, págs 44 e 53, HorácioNetho, Ed. Alfabeto, 2011)





"Todos recebem o céu que está fora deles 
segundo a qualidade do Céu que está dentro deles." 
(Swendenborg - Sábio Medieval)










“É desta Terra que nós alcançamos o céu.” 




“Num planeta, um reino pode ser enriquecido com vidas provenientes de outros pontos do cosmos. As abelhas, por exemplo, expressam um estado de consciência venusiano que veio implantar determinada energia na Terra [...] Os olhos de um recém-nascido devem ser protegidos de um contato direto com a luz do sol. Também a consciência de um ser que está despertando para o mundo interior deve aproximar-se apenas gradual e cautelosamente da Fonte de Luz interna. Mesmo que seja por ela contatado, não poderá inicialmente perceber todo o seu fulgor e radiância. Se precipitadamente se colocar diante dessa Fonte, ele cegará e, ao invés de receber maior clareza, passará por um período de escuridão. Assim, para ver essa luz, deverá antes perder a ansiedade e a ambição por coisas da terra e do céu.”       (Trigueirinho)






“Aquele que vem de cima é sobre todos; aquele que vem da Terra é da Terra e fala da Terra. Aquele que vem dos céus é sobre todos.”   (João 3, 31)



                                                                              


                                                                                          

A Coligação Céu e Terra
E o Mundo Divino se aproxima...
Das Coisas da Terra às Mensagens do Céu
(http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/12917)


Nenhum comentário:

Postar um comentário