_______________________________________________________

segunda-feira, 10 de julho de 2017

A NATUREZA MENTAL






“No mundo mental - pensar é agir.”












“A mente avança até onde pode chegar, mas depois passa a uma dimensão superior, sem saber como lá chegou. Todas as grandes descobertas realizaram este salto [...] A mente que se abre a uma nova ideia jamais volta ao tamanho original.”   (Einstein)


                                                                                                                                                                                                                                                                                         






“A mente humana possui vários estratos de consciências que cap­tam e decodificam as várias relações vivenciadas pelo ser em cada nível de expressão da vida. A mente concreta rege a experiência do ego e se identifica com os aspectos materiais mais densos da existência sobre a Terra. É uma mente lenta, pouco flexível, resistente, limitada em si, com baixo po­tencial criativo, dual, vivencia a ilusão e o sofrimento. É responsável por sentidos de julgamentos, análises e criação de sentimentos como apego, medo, ciúme, raiva, inveja, etc. Retêm elementos de natureza animal, resquícios da evolução coletiva desta raça humana planetária. Analítica, possessiva, linear e racional. É a mente onde os sistemas de crenças ficam depositados e a superficialidade da vida é experimenta­da. Reflete uma aura fricativa tamásica [...] A mente humana mais primitiva (concreta), como um componente evolutivo ancestral do reino animal, conduz o ser humano a permanecer em atividades básicas sociais características da sobrevivência animal (ali­mentar-se, reproduzir-se e proteger a família). Quando a mente da alma inicia o seu despertar, estas atividades da mente animal humana vão perdendo as suas importâncias. O ser humano passa, então e somente a partir daí, a observar e a buscar temas de autoconhecimento transcendentais para a sua vida existencial. A mente abstrata do ser humano, após vivenciar uma série de purificações e harmonizações para com a mente concreta, pode trans­cender realidades materiais e sentimentos desarmônicos densos não mais se associando a estas experiências. Desta forma, alimentos físicos podem desinteressar a consciência do ser, assim como sentimentos de raiva, inveja, apego, ciúme, desejo, etc. Emitindo uma vibração cerebral mais sutil, a mente abstrata se identifica com nutrientes mais sutis, se­jam de ordem física ou emocional.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, págs 158 e 159, HorácioNetho, Ed. Alfabeto, 2011)          
               
                                                                                               


                                                                                                                        




“A manifestação interdependente – manifestação de todos os fenômenos – deverá ser vista como o resultado de ambas as mentes, iludida e verdadeira.”   (Thich Nhat Hanh)
















“A primeira prática espiritual que se deve adotar é o cultivo do silêncio interior, para acabar com o diálogo ininterrupto com a mente. Deixe a mente descansar durante algum tempo. Não projete nela detalhes irrelevantes, ou a polua com emanações de inveja e avareza. Cada ideia que acolhemos, tanto boa quanto ruim, fica impressa na mente. Um elemento de fraqueza e inconstância é, assim, introduzido na mente. Mantenha a mente calma e limpa. Não a agite, todo momento, por meio de seu diálogo incessante. Aquele que subjugou a mente será o mesmo em bons e maus momentos. Tristeza e alegria são apenas alterações da mente. É somente quando a mente está associada aos sentidos e ao corpo que ela é afetada. Os impulsos e os desejos devem ser sublimados para que se possa atingir o domínio sobre a mente. O desejo excita a mente e a faz precipitar-se em direção aos sentidos. Não basta dominar apenas um sentido, todos devem ser completamente dominados. Hoje em dia, toda disciplina espiritual está sendo feita pela mente. Enquanto a mente controlar os exercícios espirituais, a meta da autorrealização não pode ser atingida. A mente é como um ladrão que não se permitirá ser capturado. É a mente que condiciona o corpo. A mente é um instrumento pelo qual alguém pode se arruinar ou se libertar. A mente deve se tornar a serva do intelecto, e não a escrava dos sentidos. De nada serve contar com a mente para compreender a sua verdadeira natureza. Quando a visão está centrada em sua verdadeira natureza, a mente desaparece por si mesma. O intelecto revela-se em conversas e controvérsias; uma vez que você cede à tentação da dialética (arte do diálogo ou da discussão), leva um longo tempo para escapar de suas algemas, e a eliminar, e desfrutar a bem-aventurança que vem da sua anulação. Vocês todos devem estar cientes da limitação da razão. A lógica e a dedução devem ceder seu lugar à devoção. O intelecto pode ajudá-los somente por algum tempo, ao longo do caminho para Deus; o descanso é iluminado pela intuição. Portanto, abandone a ideia de o mundo ser real; reconheça a realidade do Ser Interior e alcance a Fonte: Deus. Como um aspirante espiritual (Sadhaka), primeiro você deve aprender o segredo da ‘visão interior’ e retirar sua atenção do exterior. Você já deve ter ouvido falar um pouco sobre o mundo interior, mas a vida divina não é nada mais que esse método de vida interior. É vantajoso ao homem, para seu benefício supremo, conhecer as características da mente e os meios para dominá-la [...] A experiência do mundo é apenas uma projeção da nossa mente e o reflexo de nossos próprios pensamentos internos. Como é o pensamento, assim é a visão.    (Sathya Sai Baba)















“Uma iogue indiana, Dadi Janki, foi considerada pelo Instituto de Pesquisa Médica e Cientifica da Universidade do Texas, como a ‘mente mais estável do mundo’, porque mesmo testada em situações tensas e perigosas, seu eletroencefalograma marcou a presença constante de ondas delta, as ondas mais positivas e lentas produzidas pela atividade cerebral. Ela recebeu da ONU o título, muito raro de ser concedido, de Guardiã do Planeta, por seu trabalho em prol de mentes mais livres e pacíficas. Quando lhe perguntaram, em sua visita a São Paulo, a receita de uma mente tão tranquila e sem pesos, ela respondeu: ‘-Muito amor no coração por todos e nenhum apego por ninguém, tentar não prejudicar pessoa alguma minimamente e eliminar da mente qualquer pensamento negativo, fazendo um exercício diário e ter a certeza de que não estamos aqui à-toa, mas para cumprir o destino da evolução. Que somos caminhantes, sem dependências ou estabilidades. Quem não percebe isso se torna escravo do desnecessário e polui a mente.’ Em 1978, Dadi Janki foi submetida a um teste na Universidade do Texas, nos Estados Unidos, quando então se tornou conhecida como ‘a mente mais estável do mundo’ (suas ondas cerebrais não se alteram mesmo em situações extremas). ‘A maravilha é que, mesmo não entendendo inglês, consegui dar as respostas certas’, diz. Hoje, aos 86 anos, 60 deles dedicados ao estudo espiritual e à prática da meditação, Dadi é só tranquilidade e paz. Co-diretora mundial da Brahma Kumaris - universidade espiritual com sede na Índia e mais de 5 mil centros pelo mundo -, integrante do grupo Guardiões da Sabedoria e criadora da Fundação Janki de Pesquisas para Saúde Global, em Londres, ela nos recebeu vestindo branco por dentro e por fora, sem solenidades, sem as vaidades comuns à maioria das mulheres. Seu discurso encanta pela pureza e ensina que as mudanças possíveis ao mundo começam no coração de cada pessoa. Finaliza: ‘-Todos aqueles que, através da observação contínua de si mesmos e através da meditação, experienciam um relacionamento autêntico com Deus, podem se tornar as estrelas brilhantes que iluminam o mundo. Eu acredito que se todos seguirmos juntos assim, poderemos criar o céu aqui na Terra. Mas, primeiro, teremos de criar o céu em nossas mentes. Porque tudo o que acontece neste mundo começa antes no coração dos homens. (Dadi Janki - Diretora Mundial da Brahma Kumaris)














“Essa requintada combinação de mente silenciosa – ilimitada e infinita – com mente dinâmica – limitada e individual – estabelece um equilíbrio perfeito entre quietude e movimento simultâneos, o equilíbrio criador de tudo o que você quiser. A combinação do movimento com a quietude capacita você a desencadear sua criatividade em todas as direções – até onde o poder de sua atenção o possa levar.”   (Deepak Chopra)



       







“Cada estrato de consciência mental humana ressoa e se sintoniza com as leis correspondentes aos planos de manifestações da sua natu­reza. Desta forma, a mente concreta é o veículo que reconhece as leis naturais da vida. De outra forma, a mente abstrata acolhe e reconhece as leis sobrenaturais que regem as sua experiências, ainda planetárias. Por sua vez, a mente simbólica superior é o veículo que transita cons­cientemente pelas leis supranaturais das realidades cósmicas, alçando os limites além da órbita terrena. O despertar de uma mente abstrata requer condições energéticas e vibratórias, capazes para acolher e sustentar a sua natureza. Para isto, a concentração, a purificação e a organização mental são pré-requisitos indispensáveis. Esta é uma mente mais flexível, altruísta, criativa e de­sapegada. Tende ao silêncio, às artes, ao fabuloso, aos sonhos, ao mis­tério e à atemporalidade. Investigativa e inclusiva. Reflete uma aura elétrica rajásica. Devido ao grande acervo de instruções que foram posicionadas, na Terra e nos últimos milênios, relacionado aos temas religiosos, espi­rituais ou transcendentais, uma mente humana investigadora pode ge­rar uma imagem distorcida das realidades cósmicas, influenciada por parte deste acervo contaminado e manipulado ignorantemente dentro do reino humano. Pureza de intenção, oração sincera e aspiração entre­gue corrigem esta possível distorção. A mente de um ser que já possua o seu corpo de luz (merkabah) des­perto é conhecida, no Budismo, como Bodhichitta, ou mente iluminada. Esta mente é altruísta por sua natureza inerente e é a base sob a qual a vida cósmica inicia a sua revelação direta à consciência de um ser huma­no terreno. Bodhichitta é a mente de contato com os seres cósmicos que pertencem aos reinos superiores ao humano, assim como também com os Mestres humanos cósmicos em serviço, na Terra. Uma mente humana terrena ilumina-se através de um evento iniciático, consciente, onde o próprio ser experimentará pela primeira vez a energia da Luz celestial. As iniciações mais elevadas para a consciência humana, na Terra, não são vivenciadas diretamente pela mente concreta do ser. São redimensionadas e refletidas nela, mas não são compreensíveis à sua natureza. Ocorrem em caráter paradoxal (paralelo à mente) para a sua natureza, não a toca e para se fazer sensível, serve-se do esta­do meditativo, ponte que alça esta consciência aos sítios das mentes superiores [...] A transcendência de elevação das consciências mentais, nível a nível, requer uma série de práticas e vivências que destinam o ser humano terreno a uma perfeição arquetípica projetada pela Fon­te para este planeta. Quanto mais um ser humano desenvolver um discernimento superior para reconhecer os sinais que o seu caminho evolutivo lhe propõe, mais Amor Sabedoria será manifestado em sua vida, rumo aos desígnios de aperfeiçoamento dos projetos da Fonte Central da vida.” (Do livro “VIA CORAÇÃO,caminhos da transformação”, págs 160 e 161, Horácio Netho, Ed. Alfabeto,2011)






A "NÃO MENTE"
(LUCIDOR FLORES)




“O homem mental não compreende as coisas espirituais, nem as pode compreender, porque lhe parecem estultícia; pois elas devem ser compreendidas espiritualmente. O homem espiritual compreende todas as coisas.”   (Paulo de Tarso)
            

                                                                                                                                                                                             













“É improdutivo buscar a compreensão do divino com uma mente inábil, desorganizada, desconcentrada e inflexível em suas crenças. A mente é a porta principal de entrada para o fortalecimento da ignorância e também para o conhecimento que suporta a sabedoria divina [...] Ao aspirar e tentar compreender a iluminação, a mente do homem comum tende a seguir uma linha racional que busca explicações e entendimentos externos palpáveis. Desta forma, surgirão muito mais questões que respostas. A manifestação da iluminação é um evento paradoxal e transcendente, manifestando-se para além do alcance da mente comum e linear, encontrando-se em uma dimensão acima. É intocável e misteriosa para a vida mundana. Encontra-se em estado latente dentro do próprio inconsciente humano, ainda não desperto. O silêncio, a devoção, a investigação humilde, o desapego mental, a purificação, a entrega e o despojamento são bases essenciais para um homem comum se aproximar e poder acessar o sentido da iluminação. Antes disso, a ignorância permanece [...] Muitos seres humanos falam sobre o ego a partir da sua própria consciência e percepção egóica. Nunca vivenciaram a sua natureza superior por meio da meditação. Desta forma, não conseguem discriminar nitidamente a sua essência, pois relatam a partir das experiências, informações e definições dos outros. Em verdade, são ignorantes que especulam sem conhecimento de causa, ficando na própria superficialidade inerente do ego, em retroalimentação da ilusão de suas mentes [...] O encontro com o divino não ocorre seguindo caminhos inflexíveis e sob crenças pré-estabelecidas. É preciso entregar-se profundamente ao silêncio interno, distanciar-se de toda e qualquer crença pessoal ou coletiva e buscar penetrar o vazio da existência. Devemos aquietar nossas mentes e deixar que a própria vida superior nos conduza, mostrando-nos o mais adequado para cada momento e ser, sem nenhuma expectativa [...] Muitos seres humanos ainda não possuem uma capacidade intelectual para assimilar os ensinamentos dos grandes mestres. São incapazes sequer de compreender os ensinamentos de um único mestre, quanto mais de reunir e sintetizar os ensinamentos gerais daqueles grandes mestres que lhes são disponíveis. Mais ainda, não conseguem transferir da mente intelectiva para o plano abstrato a verdadeira essência a que se destinam os ensinamentos espirituais. É que seus tempos ainda estão por vir [...] Ao praticar a verdadeira contemplação, o ser se desnatura e transcende todos os conceitos pré-estabelecidos pela sua mente. Desta forma, acaba se expandindo, conhecendo e encontrando a si próprio interconectado num mergulho profundo na essência do todo.”  (Do livro “VIATERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)
                                                                                                                                   








“O homem sábio não tem mente própria. 
Ele assume a mente da humanidade.”  
(Lao Tsé)  












"Quando uma mente humana adquire uma certa maturidade para concentrar-se e estar mais atenta aos eventos da vida, ela pode praticar algumas técnicas meditativas que levam a processos reflexivos sobre a dinâmica da vida holística. Em alguns casos, este tipo de mente pode proporcionar o despertar do "Corpo de Luz" para a consciência do ser humano e este reconhecer as realidades holográficas iluminadas da existência. Neste caso, a quinta dimensão passa a ser acessada e as experiências dos espaços-tempos do "agora" e do "presente" são transcendidos, através do usufruto de portais de consciência que passam a se apresentar para este ser humano. A humanidade como um todo está sendo preparada para desfrutar destas realidades da quinta dimensão, sendo que alguns elementos que caracterizam a dinâmica da vida na quinta dimensão já estão sendo incorporados na vida comum e usual das civilizações terrestres. Atividades à distância são uma das realidades mais marcantes da dinâmica que a quinta dimensão oferece e, não por acaso, é notório o crescente aumento do envolvimento da humanidade com atividades à distância. Cursos, seminários, congressos, conferências, atendimentos terapêuticos, compras e outras atividades estão cada vez mais sendo realizadas à distância. Em síntese, o símbolo maior que foi introduzido na Terra e está se manifestando como uma ferramenta fundamental para a dinâmica civilizatória de quinta dimensão é a "INTERNET", a rede mundial de computadores é um "Portal" que está acelerando os processos evolutivos e a ascensão da consciência coletiva da humanidade como nunca antes acontecera. Aos poucos, a humanidade sairá da escuridão dos últimos milênios e adotará um ritmo evolutivo superior imponderável para os tempos de hoje. Bênçãos para a vida na Terra."   (http://horacionetho.blogspot.com.br/)     














“É da natureza da mente humana comum tagarelar, desviar constantemente o foco de sua atenção e estabelecer condicionamentos. É de sua natureza, também, a tendência a assumir a liderança do ego e o controle sobre as verdades com as quais se identifica. Da mesma forma, uma mente comum tende a penetrar invasivamente e sem humildade os espaços externos e ambientais nos quais o ser se encontra, agredindo por vezes sutilmente estes lugares. É necessário um estado de consciência meditativa para que se consiga desenvolver uma maior retidão mental e um comportamento mais disciplinado, equilibrado e amoroso da mente [...] Aquele que intenciona evoluir e servir a vida deve manter a sua mente alerta à proliferação dos valores inversos às virtudes. É comum estar ludibriado com os valores do atraso sem se perceber. A atenção deve ser redobrada nestes tempos tão enganosos e cheios de armadilhas cultuadas no seio da vida humana comum da Terra [...] Uma mente humana bem desenvolvida possui inúmeros recursos de autocontrole. Equilibra-se com agilidade, adapta-se com flexibilidade, é compreensível e desapegada às crenças. Conduz coordenadamente o seu corpo físico. É como o bambu, firme quando precisa e flexível quando necessário. É porto seguro para a luz da vida superior [...] O sábio motiva os outros a reunirem todas as informações disponíveis em suas mentes e a encaminharem-nas a uma síntese. É necessário destituir o sectarismo que predomina na mente comum e buscar a unidade que interliga e desvela uma rede interdependente de todas as realidades. A ascensão da consciência só ocorre através de sínteses e expansões, nunca através da separatividade e exclusões. Apesar da existência de uma sábia força repulsiva na consciência da unidade cósmica, as contradições e os paradoxos separatistas ficam nas análises mentais daqueles que ainda não acessam as dimensões superiores [...] Escutar o coração é uma sabedoria que poucos alcançam nos dias de hoje. A maior parte da humanidade escuta a voz da sua mente, que é tendenciosa e segue condicionamentos imperceptíveis. Uma mente agitada é conflitante e excitada bloqueando a comunicação do coração, fazendo a sua verdade ficar reprimida.”  (Do livro “VIA TERRA, caminhosda luz”, Horácio Netho)











"Todas as graças da mente e do coração escapam, 
quando o propósito não é firme."
 (William Shakespeare)











“Na realidade, a mente tende persistentemente a se projetar para o exterior como uma reação a tudo o que ocorre dentro de si, de forma que, percebemos como externos objetos que são internos. Assim, toda percepção interna, involuntariamente levará a mente para o externo. Isso é distração. E tudo aquilo que achamos que percebemos fora será apenas a interpretação mental do próprio mundo interno refletindo-se no externo: a imagem externa é uma ilusão interpretativa mental [...] A natureza do complexo mental é a instabilidade, principalmente de seu aspecto inferior condicionado. Nunca poderemos cessá-la permanentemente, mas apenas mudar o foco da percepção para além desse nível, pois o conceito de complexo mental inclui diversos níveis da mente. Enquanto não ultrapassamos todos os níveis da mente, nos livrando de todas as ilusões, a serenidade da mente inferior permanecerá intermitente. A cessação temporária dessas reações ocorre sempre quando se cessa a atividade associativa e discriminativa da mente condicionada. Mas para isso duas condições são imprescindíveis: um esforço em permanecer nesse estado, que somente se estabelece firmemente através da prática por longo tempo, sem interrupção e com reverente seriedade e fé, e pelo perfeito domínio consciente de todos os desejos por objetos percebidos ou revelados - desapego.”  (Do Livro “Em Busca do Eu”, págs 140, 141, 145 e 146, Autor: Cláudio Azevedo, Ed. Órion, 2007)






O PODER da MENTE HUMANA
(COMANDO ESTELAR ÓRION - JOAHDI)










“Uma grande transformação está ocorrendo e se intensificando em nosso planeta, que é chamada ‘transição da biosfera para a noosfera’, quando a humanidade será unificada novamente pela mente e recuperará poderes que perdeu ao longo do tempo em que se afastou do tempo natural, incluindo a telepatia e a capacidade de viajar no tempo.” (Vandir Casagrande – Coordenador dos Projetos Especiais do Instituto de Pesquisas Galácticas)













Desestabilização das Mentes   
Consciência, Mente Concreta e Ego
O Universo da Mente e Outras Reflexões
(http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/12559)


Nenhum comentário:

Postar um comentário