_______________________________________________________

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Percebendo a Fonte - "A MEDITAÇÃO"



























“Todos aqueles que, através da observação contínua de si mesmos e através da meditação, experienciam um relacionamento autêntico com Deus, podem se tornar as estrelas brilhantes que iluminam o mundo. Se todos seguirmos juntos assim, poderemos criar o céu aqui na Terra.”   (Dadi Janki - Diretora Mundial da Brahma Kumaris)












“Tal como uma casa, cujo telhado é imperfeito, penetra a chuva; assim, também, num espírito onde não reside a me­ditação, penetra a paixão.”  (Siddartha Gautama)













MEDITAÇÃO







“Temos na atmosfera, ao nosso redor, a música emanando de todas as emissoras do mundo, mas elas não agridem seus ouvidos em todos os momentos. Somente se tiver um receptor e sintonizar o comprimento de onda correto, você ouvirá a transmissão de uma estação particular; se não conseguir sintonizar corretamente, você receberá, em vez de notícias, somente aborrecimento! Assim também, o Divino está em toda parte - acima, ao redor, abaixo, ao lado, perto e também distante. Para o ‘perceber’, não é necessário uma máquina, mas uma fórmula mística (mantra). A meditação é a localização exata da estação na faixa de emissão; o amor é a correta sintonização, e perceber a realidade e a bem-aventurança que ele confere é o feliz escutar sem ruídos! Seja qual for a tarefa em que se esteja engajado, fazê-la com concentração desenvolverá tanto autoconfiança como autorrespeito, pois eles são o resultado da atitude da mente. A mente pode se apoiar tanto no mal como no bem e a atenção concentrada deve ser empregada para manter a mente ligada apenas aos bons chamados. O sucesso ou fracasso da boa tarefa depende da unidirecionalidade. Unidirecionalidade aumentará nossa força e habilidade. Mas, ela não pode ser obtida sem dominar os desejos mundanos que distraem a mente. Essa unidirecionalidade, essa conquista da mente, é adquirida através do exercício da meditação. A mente planeja e executa inumeráveis ações e percorre as mais vastas extensões, tudo em um piscar de olhos! Ela opera com velocidade inimaginável. No entanto, enquanto se medita, não se deve permitir à mente vaguear para longe do objeto de meditação. Sempre que ela voar em uma tangente, ela deverá ser conduzida de volta para a forma da meditação. Apenas uma forma deve ser meditada no início; não altere o objeto de foco todos os dias. Para se concentrar de forma eficaz, você deve ter cuidado para não ter como foco algo que sua mente não goste ou que cause dor ou abale sua fé, pois por mais que você possa tentar, sua mente não ficará fixa sobre eles. Com o tempo, mesmo que pensamentos desagradáveis venham, aprenda gradualmente a acolhê-los como benéficos e busque compreender o seu bem [...] Pode uma pessoa ensinar meditação a outra? É possível ensinar a postura, a posição das pernas, pés ou mãos, a forma e o ritmo de se respirar. Meditação é uma atividade do mais íntimo do ser humano, ela envolve uma profunda quietude subjetiva. O esvaziamento da mente e o encher-se com a luz que emerge da Divina chama interior. É uma disciplina que não se ensina em livros. Como começar? Se você alguma vez contemplou com deslumbramento uma noite estrelado ou se maravilhou com o milagre de uma flor silvestre, você já começou a meditar.  (Sathya Sai Baba)








MEDITAÇÃO e CORAÇÃO
(MENSAGEM de ESPERANÇA)











“Uma das bases primordiais que sustenta a prática da meditação é a fé. É saber que se vai penetrar em verdades inconcebíveis e em mundos desconhecidos que permeiam a existência e a inexistência do ser [...] Para se combater o inimigo é sábio conhecer a sua força, os seus recursos, as suas estratégias e os seus objetivos. Desta forma, o ser humano deve buscar conhecer o seu ego dual e combatê-lo, internamente, até a rendição total. O ego é o principal inimigo do homem enquanto percebido, reconhecido e vivenciado pelo próprio ego. Iluminado e reconhecido pela alma, o ego passa a ser um aliado que serve de base inferior para a sua expressão. Ou seja, em determinado nível o ego é um veículo essencial nos níveis inferiores para a expressão dos propósitos advindos dos níveis supra-humanos. É através do seu ego que um mestre espiritual se torna visível à humanidade comum e assim pode cumprir a sua missão de auxílio na matéria terrestre. A meditação é a ferramenta de investigação primordial para se conhecer os limites essenciais do ego [...] Ao contrário do que muitos pensam, a indiferença é um comportamento elevado que parte do não julgamento. É base essencial para o estabelecimento do desapego e da neutralidade. Há técnicas avançadas de meditação que proporcionam a incorporação da consciência da indiferença no ser humano. A indiferença propicia um distanciamento mental e emocional saudável dos eventos externos da vida, abrindo espaço e sustentação para a ação instantânea da intuição. Destitui os desejos e a zona de sofrimento da consciência humana comum, estabelecendo um vetor de contato ascensional [...] Redimensionar os frutos de uma meditação profunda é tarefa que não se deve fazer. É involuir. Não há meios disponíveis eficazes que possam transcodificar fidedignamente a experiência vivenciada nas dimensões superiores [...] A prática da meditação não intenciona fazer do ser humano um ser bonzinho, calmo e incapaz de fazer mal a alguém... um manso. Ilusão. A meditação tende a tornar o ser mais coerente, mais conectado com a sua essência e mais fidedigno às suas respostas para com a vida. Ser bonzinho, fazer o bem ou o mal está abaixo de onde a meditação alcança. A consciência que se busca através da meditação é transcendente para a dualidade bem e mal. É vivência que se destina à neutralidade e ao esvaziamento dos julgamentos mentais e das respostas emocionais. Busca conectar o autopoder todo centrado, que às vezes constrói e outras vezes destrói [...] Se faz necessária uma meditação profunda sobre a relação da consciência humana com o espaço-tempo externo. Desta forma, pode-se observar as escapadas que a mente tende a dar, constantemente, do momentum interno do eterno agora. Este momentum traz a unificação de todos os tempos ilusórios externos através de uma iniciação que permite usufruí-los, a partir da quinta dimensão, sempre com a consciência atenta e desperta no eixo central do agora [...] Todos os elementos externos da existência, quando observados profundamente em estado meditativo, se dispersam no vazio. Os budistas já pregam esta realidade, há séculos, denominando-a de sunyata. A ciência da física quântica contemporânea já acolhe e confirma esta verdade. É que, através dos altos níveis de pureza e meditação, o homem é iniciado com os mistérios da natureza atômica. Ou seja, a consciência humana desperta dos grandes iniciados está muito à frente do que a atual ciência ainda precise investigar e confirmar.” (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)





MEDITAÇÃO em ESCOLA PÚBLICAS
(LINK: http://mentevivars.wix.com/formulario)









MEDITAÇÃO no COLÉGIO
(TESTEMUNHOS de PROJETO)







“A verdadeira cosmo meditação é uma sintonização cósmica, uma afinação do receptor humano com o emissor Divino.”   (Huberto Rhoden)












RELAÇÃO entre ORAÇÃO e MEDITAÇÃO
(TRIGUEIRINHO)





“Há tantos modos de falar de meditação e eu devo tê-la ensinado milhares de vezes, mas a cada vez é diferente e, a cada vez, espontâneo e novo. Felizmente, vivemos numa época em que muitas pessoas estão se familiarizando com a meditação, por todas as partes do mundo. Ela vem se tornando, de modo crescente, aceita como uma prática capaz de ultrapassar e pairar acima das barreiras culturais e religiosas, permitindo que seus seguidores estabeleçam um contato direto com a verdade de seu ser. Treinar a mente não significa, de modo algum, usar de força para subjugar ou para realizar uma lavagem cerebral. Antes de tudo, treiná-la é aprender, diretamente e de forma concreta, o seu modo de funcionar, um conhecimento extraído dos ensinamentos espirituais e da experiência pessoal na prática da meditação... tome cuidado em não impor nada à sua mente, ou programá-la. Ao meditar, não deve haver nenhum esforço para controlar, nem qualquer tentativa de alcançar a paz. Não fique ostensivamente solene, ou se sinta como se estivesse tomando parte em algum ritual especial, abandone até mesmo a idéia de que se encontra em meditação. Deixe seu corpo permanecer como ele é, e a respiração como ela vier.”   (Sogyal Rinpoche)













“O reino da quietude que os sábios conquistaram pela meditação é também conquistado pelos que praticam ações; sábio é aquele que compreende estas duas coisas – a intuição mística e a ação prática – são uma só em sua essência.”   Krishna  (Baghavad Gita, cap. 5)



MEDITAÇÃO CRISTÃ
(DR. PADRE GABRIEL MEDINA)













“Em sânscrito, a palavra 'SGOM' (algo como familiarizar-se) é usada, no Tibete, para designar o que conhecemos como meditação, na cultura ocidental. A vida superior é paradoxal, ou seja, corre em paralelo à mente e não a toca. A meditação é o meio de transcender a experiência da mente e perceber a vida superior, na sua própria dimensão. A meditação é uma prática somente indicada para aqueles que já possuem certo grau de con­centração mental e buscam aperfeiçoar a compreensão das relações men­tais com os elementos da vida. Antes de se acessar o estado meditativo (que é incidental), a mente humana necessita desenvolver uma estabilidade de concentração, que suporte esta experiência superior sobremental. Não é o ego humano que busca a prática da meditação. É a cons­ciência da sua alma que, quando se apronta para despertar, projeta uma luz atrativa na direção da sua consciência inferior. A consciência da alma se faz perceber através de uma voz interna e silenciosa, que usufrui das vias intuitivas para se comunicar. Sabendo disto, o ser humano inician­te na meditação deve apenas concentrar a sua mente e entregar-se, em silêncio desinteressado, ao comando de sua própria alma [...] O planeta Terra está passando por uma transformação em sua grade de energias. A incorporação da quinta dimensão na consciência dos elementais da Terra impulsionará a humanidade a uma frequência vibracional correspondente aos estados meditativos, relativos às expe­riências dos corpos de luz humanos. Desta forma, as técnicas milenares tradicionais de meditação estão se tornando ultrapassadas, pela pró­pria facilitação da elevação da consciência planetária.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”,págs 162 e 165, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2011)














MEDITAÇÃO c\ 1 MILHÃO de CRIANÇAS
(DOCUMENTÁRIO BBC)











“... a criatividade nos escapa tão facilmente. Para que ela brote, precisamos sair do âmbito do fazer para o do ser, relaxando e voltando a atenção para o mundo interior. A meditação, por exemplo, desacelera a mente submetida ao fazer – se permitirmos, a mente acabará pulando de uma tarefa para outra, sem parar. A desaceleração da mente é a chave para a criatividade. Esse é um aspecto fundamental de várias tradições espirituais. A espiritualidade envolve criatividade e a criatividade demanda uma mente serena.”  (Amit Goswami – Ph.D. em Física Quântica)








EFEITOS da MEDITAÇÃO
(ATIVIDADE CEREBRAL)











“Um ser humano pode perdurar por longos períodos praticando várias técnicas de meditação e vivenciar uma reduzida carga de experiências conscienciais. Contudo, um outro ser humano pode penetrar acentuadamente os níveis mais sutis da consciência em pouco tempo de prática meditativa. Cada ser conduz, normalmente, um nível diferenciado de propósito diante o seu status evolutivo. Daí, a verdadeira meditação deve respeitar a individualidade de cada ser, deve se encaminhar como uma prática livre sem desejos ou metas totalmente definidas. Desta forma, cada ser estará apto para acessar mais adequadamente o que lhe for correspondente segundo a regência da sua própria consciência superior [...] A meditação é uma prática superior que independe de qualquer doutrina religiosa. É uma prática livre, pessoal, direta e sintética, autocentrada na busca da consciência holística. Segue a individualidade da cada ser e é vivência de autoconhecimento [...] É da natureza da mente humana comum tagarelar, desviar constantemente o foco de sua atenção e estabelecer condicionamentos. É de sua natureza, também, a tendência a assumir a liderança do ego e o controle sobre as verdades com as quais se identifica. Da mesma forma, uma mente comum tende a penetrar invasivamente e sem humildade os espaços externos e ambientais nos quais o ser se encontra, agredindo por vezes sutilmente estes lugares. É necessário um estado de consciência meditativa para que se consiga desenvolver uma maior retidão mental e um comportamento mais disciplinado, equilibrado e amoroso da mente [...] Muitos seres humanos falam sobre o ego a partir da sua própria consciência e percepção egóica. Nunca vivenciaram a sua natureza superior por meio da meditação. Desta forma, não conseguem discriminar nitidamente a sua essência, pois relatam a partir das experiências, informações e definições dos outros. Em verdade, são ignorantes que especulam sem conhecimento de causa, ficando na própria superficialidade inerente do ego, em retroalimentação da ilusão de suas mentes [...] A partir da sua dimensão de linguagem, as palavras tentarão expor uma apresentação, uma imagem ou uma idéia sobre as realidades divinas. Mesmo usufruindo das combinações mais harmônicas e perfeitas entre as palavras, em qualquer idioma, o plano divino ainda será distorcido. A consciência humana só compreenderá a divindade por via direta e esta via é acessada por meio do silêncio, da concentração, da pureza, do estado meditativo e contemplativo [...] Caso o ser ainda não tenha um bom nível de meditação, ele vai estar sempre diante o plano das máscaras, das personalidades e dos egos. Nunca poderá se aproximar verdadeiramente da essência de um outro ser. Ficará limitado ao plano das ilusões, da superficialidade aparente e se perderá facilmente com a sua ignorância diante os seus julgamentos infundados. Desta forma, perderá muitas oportunidades de se elevar por não ser capaz de perceber a luz maior de outros seres e se beneficiar dela [...] O místico contemplativo não conduz técnicas meditativas, está além delas. Ele traz o veio da luz superior acessível em sua consciência e a toca quando quer [...] O ego só é melhor compreendido através de um certo distanciamento. A meditação é a prática vivencial adequada para promover o distanciamento e a observação da consciência humana sobre si própria. Por este meio, a consciência humana superior ao ego poderá revelar-lhe a sua essência [...] Não é a mente que cria a realidade ou a ilusão, ela simplesmente confirma ou nega estes aspectos. A natureza da ilusão e da realidade estão acima da capacidade mental. Somente em meditação e silêncio interno profundo pode-se perceber a essência do propósito da mente [...] Com a meditação analítica e investigativa, o ser pode perceber como se manifestam e quais espaços ocupam as suas dimensões física, emocional e mental [...] É da natureza da mente querer estar sempre no controle da vida. Porta-se como um controlador tirano, ditando o que deve e o que não deve, o que é e o que não é. Meditar é desapossar este ditador (mente) e entregar o cargo a Deus, humildemente em silêncio para que um novo reinado surja.”  (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)























“A meditação sobre a natureza da interdependência (paratantra) pode transformar a ilu­são em iluminação. Treinando diariamente a observação profunda, fazendo uso da plena consciência para verter luz sobre a natureza interdependente das coisas, nos libertaremos da tendência de concebê-las como permanentes e como tendo um eu separado.”  (Do livro “Transformações na Consciência”, autor: Thich Nhat Hanh, Ed. Pensamento, 2002, pág. 209)

















Nenhum comentário:

Postar um comentário