_______________________________________________________

segunda-feira, 3 de abril de 2017

LIMITES do "EU MESTRE"












“Assim como há diferentes níveis de profetas, de curadores e de Avatares, diferentes também são os níveis de Mestres que podemos encontrar em nossos caminhos. Quanto mais elevada é a consciência de um Mestre, mais ele consegue acessar realidades mais sutis das dimensões do Cosmos. E neste aprofundamento da sua consciência em integração com a vida holística da Fonte, a sua própria referência de “EU” humano que ainda pode ser real para a sua experiência sobre a Terra, vai se desintegrando e a sua consciência vai sendo absorvida por realidades maiores.”








"Nunca se rendam a ninguém a menos que sintam uma certeza interior de que estão no caminho certo. Acima de tudo, não falem mal de grandes homens e sábios espirituais. Isso é um sinal flagrante de egoísmo e da impertinência infantil oriundos dessa presunção."      (Sathya Sai Baba)











“Parte das experiências de maestrias que um ser humano vivencia, na Terra, tem como sustentação principal as referências das consciên­cias do seu ego ou de sua alma. Estas consciências citadas estão limita­das às realidades daquilo que conhecemos como 'EU'. Incapacitadas de perceberem a rede interdependente da vida cósmica, as consciên­cias humanas que vivem no 'EU' formatam as suas experiências de maestrias, a partir desta referência. O 'EU', então, é o foco central de captação e emanação das maestrias observadas na vida. Através do 'EU', o ser humano vai vivenciar inúmeras possibilida­des e rastrear uma considerável gama de experiências enriquecedoras que o levarão a um determinado estágio evolutivo. Regida por leis precisas, a evolução sobre a maestria da vida pode percorrer inúmeros espaços-tem­pos pelas vias do Cosmos, conduzindo este 'EU', arremetendo a realida­des misteriosas sobre as verdades superiores. Há até mesmo uma interre­lação entre as experiências vivenciadas por um 'EU' terreno com eventos manifestados além da órbita planetária, em vários outros pontos do Cos­mos, onde ordens e conjunturas siderais se apresentam conectadas. Esta maestria através da consciência do 'EU' persiste apenas nas limitações dos estágios inferiores da experiência humana, neste plane­ta. O 'EU' não resiste à manutenção de uma consciência humana em dimensões cósmicas elevadas, passando a ser dissolvido em ini­ciações sistêmicas (expansões de consciência) que foram projetadas para tal. Desta forma, necessitamos saber às quantas andamos por esta senda. O quanto o nosso 'EU' já acolheu de maestria para nos encaminhar sabiamente pelos chãos deste planeta, sem sofrimentos. Mais ainda, devemos aprender a reconhecer quais manifestações caracterizam, em diagnose, um ser humano que possa nos auxiliar a nos iluminar o cami­nho, em busca de nossa própria maestria. Enfim, o 'EU' mestre que há em cada ser humano terreno é real. Está aí vivendo a sua jornada, não importando em quais frentes expe­rimentais esteja a sua consciência neste atual momento. Somente que estamos em tempos decisivos. As maestrias de cada ser humano estão sendo expostas, em juízo planetário e cósmico, de forma aguda. Cada ser deve buscar os seus mais altos níveis de conhecimento e sabedo­ria para conseguir se desviar das visíveis intempéries inerentes destes tempos. Os valores mais nobres e elevados serão requisitados a todos aqueles que intencionam em ver a Luz com os seus próprios olhos. O caminho da maestria pessoal requer necessariamente uma sintonia fina cada vez mais harmonizada e sutil com os impulsos da Terra, do Sol, da Galáxia, do Universo e da Fonte.”    (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, págs 81, 84 e 86, Horácio Netho, Ed. Alfabeto,2011)











“Do homem, forte em sua virilidade, aliado à delicada feminilidade, brotam as nascen­tes do mundo. Nele está a fonte da vida, e por isto não será jamais abandonado pelas forças que radicam do próprio EU. Regressa à ingenuidade da criança o homem pene­trado de luz. Prefere conservar-se no escuro quem se tornou a luz do mundo, porque ele é autoluzente. Jamais o desertarão as potências da luz. Remonta até a fonte da vida quem sabe da sua grandeza interna e, não obstante, permanece humilde. Por ele é redi­mido o mundo. Sem fim é o borbulhar da sua força para quem encontrou a simplicidade do seu coração.”     (Poema28, do “Tao Te Ching”,autor: Lao Tsé)







"O indivíduo não realiza o sentido da sua vida se não conseguir colocar o seu 'Eu' a serviço de uma ordem espiritual e sobre-humana."  (Carl Gustav Jung)








Sermos Universais
Almas, Espírito Santo e Mônadas
Elevadas Consciências e Justiça
(http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/3221)


Nenhum comentário:

Postar um comentário