_______________________________________________________

quinta-feira, 6 de abril de 2017

ENERGIAS ASTROLÓGICAS






“Compreende que és um segundo pequeno mundo, e que o Sol e a Lua estão dentro de ti, e também as Estrelas.”   (Orígenes)
            





“Neste atual momento cósmico, assim como a Terra está tendo os seus eixos centrais deslocados, todo o sistema solar está passando por um reposicionamento sideral para uma nova ordenação orbital. Este evento cósmico desencadeará transformações nas consci­ências das almas humanas terrenas e poderá gerar desequilíbrios psí­quicos nos mais sensíveis e despreparados. Assim como os astronautas perdem estas referências astrológicas de Samsara, quando saem da ór­bita terrena, e necessitam de amparo psicológico quando retornam, a humanidade estará se submetendo, aos poucos, a uma renovação sutil de referências astrológicas equivalentes. Desta forma, a ação de Júpiter, Saturno, Vênus, Mercúrio, Marte, etc... sobre as consciências humanas não exercerão mais os mesmos propósitos. Tanto estes espelhos astro­lógicos emissores de energias, quanto os receptores das consciências humanas terrenas redimensionarão os seus níveis de interação.” (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos datransformação”, pág 198, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2011)








“A astrologia merece o reconhecimento da psicologia, sem restrições, porque a astrologia representa a soma de todo o conhecimento psicológico da antiguidade.”   (Gustav Jung)














“A astrologia é uma ciência em si, eu aprendi muito com ela. É uma ciência que aponta caminhos, por isso ela é um elixir da vida para a sociedade.”  (Einstein)











“Não há como negarmos a influência da astrologia em diversas culturas e civilizações que estruturaram a História da humanidade neste planeta. Os homens sábios que estiveram à frente de seus tempos e de seus povos, buscaram inspirações nas conjunturas siderais naquilo que hoje denominamos de astrologia. Seguindo na direção do ensinamento ‘assim como em cima, assim é em baixo’, a vida terrestre como um todo pode ser observada como um reflexo espelhar dos astros que compõem a siderurgia universal. Desta forma, o homem também é uma extensão da vida dos astros celestes e esta consciência da presença destas energias além Terra dentro da sua própria constituição é fundamental para que o ser humano se integre em seu planeta, em seu sistema solar, em sua galáxia e em seu universo. A astrologia tem sido estudada e validada por todos aqueles que procuraram se aproximar de forma não convencional aos mistérios que remontam nossas vidas. Não por acaso, os cinco homens considerados como grandes gênios da cultura científica moderna, ou estudavam astrologia ou eram simpatizantes e consideravam os estudos da astrologia. Leonardo da Vinci, Galileu, Isaac Newton, Kepler e Einstein produziram as suas obras em contato com a astrologia. Atualmente, temos um vasto acervo de estudos das influências astrológicas nos mais variados campos de expressões da vida humana. Desta forma, temos ramos da astrologia dirigidos à medicina, à vocação profissional, à psicologia comportamental, aos cultivos vegetais, etc. Porém, devido às novas órbitas siderais que estão sendo propostas para diversos astros e constelações pelo Cosmos, as energias astrológicas emitidas para a Terra estão sendo atualizadas. Culturas egípcias, gregas, maias, incas, romanas, tibetanas, chinesas e outras orientais da antiguidade deixaram suas Histórias marcadas pela presença da astrologia em seus conteúdos mais elevados. De outra forma, assim como diversas culturas têm sido distorcidas e banalizadas pelo atual estágio da consciência coletiva da vida comum dos seres humanos materializados deste planeta, a astrologia também tem sido desvirtuada e mal utilizada pelas sociedades dominantes. Porém, uma nova astrologia está sendo aprontada e direcionada para o futuro da Terra e, junto com ela, nascerão homens sábios que reconhecerão o valor dos propósitos celestes e atualizarão os conhecimentos siderais para a Terra.”   (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais”, págs 153 a 155, Horácio Netho, Ed.Alfabeto, 2012)








“Um médico sem o conhecimento da astrologia não tem o direito de chamar a si mesmo de médico.”  (Hipócrates)






ZODÍACO - O zodíaco é conhecido desde a Antiguidade e despertou o interesse do homem para o estudo dos ciclos e das energias siderais. Levavam-se em conta e confirmavam-se com precisão científica suas influências nos diversos setores da vida na Terra. As constelações são, na verdade, expressões de grandes entidades. Da mesma maneira que com um termômetro convencional não se mede diretamente o calor, mas o efeito dele sobre algo material (no caso, a coluna de mercúrio), os ciclos zodiacais servem de referência para a identificação dos efeitos de arquétipos cósmicos sobre a consciência do homem e sobre a vida planetária. As energias simbolizadas pelas constelações do zodíaco possuem, cada qual, poderes e qualidades peculiares, sempre relativos ao grau de consciência de quem as contata [...] Como no Cosmos não há fronteiras delimitadas, muitas vezes é inviável dizer em que constelação o Sol, a Lua ou os planetas se encontram ou a data em que uma era astrológica começa. A divisão do círculo zodiacal em 12 áreas iguais (cada qual correspondendo a uma constelação) é puramente convencional e, assim, passível de mobilidade... As almas podem usufruir os impulsos da energia dos signos zodiacais estando encarnadas ou não. No decorrer das encarnações, percorrem repetidas vezes os doze signos do zodíaco, aperfeiçoando desse modo etapas ainda não completadas ou refazendo provas para superar as próprias limitações. Na época atual, aquelas que vão atingindo certo nível de evolução, pouco a pouco, vão deixando de se limitar pelas influências zodiacais e começam a utilizar conscientemente a energia de signos específicos, bem como as circunstâncias facilitadas por eles, conforme a necessidade; assim, podem prestar maior serviço aos semelhantes, ao mundo e até mesmo ao sistema solar, dependendo do seu grau de consciência. As almas muito evoluídas libertam-se por completo da ascendência dos signos zodiacais e contatam realidades mais amplas. Traspassar o círculo zodiacal significa um grau mais elevado de maturação e implica estabilidade no nível monádico. Em todos os tempos houve seres que, embora vivendo na Terra, estavam além desse círculo. A visão intuitiva da realidade cósmica que esses seres possuíam abre-se hoje para maior número de indivíduos; descortina-se à medida que os níveis abstratos do próprio ser são contatados...” (Do livro “Glossário Esotérico”,   Trigueirinho, Ed. Pensamento, 1994, págs. 512 a 514)










"A astrologia indiana que é sideral e não trópica, como a ocidental, ensina que, desde o momento da concepção, nosso espírito começa a preparar nossa encarnação. A escolha de um corpo físico, o lugar do nascimento e a família onde encarnamos, e também as experiências de vida que iremos enfrentar, tudo, tudo mesmo, tem uma programação predefinida. A astrologia tradicional nos ensina que, no momento exato em que o bebê respira pela primeira vez, recebe uma "descarga energética" inerente às emanações cósmicas daquele momento único. É por causa disso que o Mapa do nascimento de uma pessoa deve ser calculado para esse exato momento em que ele respira pela primeira vez. Observando todas as configurações astrológicas (localizações e aspectos dos planetas) considerando o dia, mês e ano e, sobretudo, a hora e o local do nascimento, levanta-se o Mapa do Nascimento, ou Mapa Natal. A leitura dessas configurações dará ao astrólogo a capacidade de traduzir em palavras aquilo que é representado nos símbolos. O astrólogo é simplesmente um intérprete do céu, como um músico e o intérprete da peça musical escrita pelo autor. De posse desse mapa, também chamado Tema Natal, você obtém o GPS cósmico que irá, não somente lhe indicar todos os acontecimentos importantes de sua vida, mas o ajudará a percorrer o caminho indicado pelo mapa. De posse da interpretação e seguindo as indicações das configurações astrológicas, você poderá tomar suas decisões, evitar os percalços e seguir pelo seu destino com a bússola na mão." (Graziella Marraccini em: http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=14076)









“A astrologia constitui, desde alguns milênios, um dos bens espirituais comuns a toda a humanidade; sua literatura pode ser qualificada de mundial; representa provavelmente o único campo onde o Oriente e o Ocidente, os cristãos, os muçulmanos e os budistas se compreendem sem dificuldade.”   (Franz Boll)



                                         

“Eu diria que a astrologia deverá estar seguindo os passos do novo paradigma que está influenciando toda a ciência e toda a filosofia, que é conhecido como o paradigma holográfico [...] Muitas coisas enigmáticas como, por exemplo, o mistério da enorme capacidade da memória no ser humano é explicado hoje por hologramas construídos dentro da mente. Hoje, a própria visão do Universo, das partículas atômicas, dos átomos e das galáxias estão dentro de hologramas percebidos por cérebros holográficos [...] Podemos dizer em termos astrológicos que o registro akáshico ou o holograma social é formado por bilhões de mapas, ou bilhões de hologramas astrológicos e eles não estão soltos, mas interligados. Podemos dizer que esse seria o holograma da humanidade formado por sete bilhões de mapas, mas eles não são totalmente isolados. Cada mapa desses sete bilhões tem contato com os outros sete bilhões, e cada mapa está falando da humanidade. Então, essa conexão de energia entre o nosso mapa e o mapa de outrem é uma ligação holográfica. Esse panorama completo de hologramas com suas leis próprias formam uma maravilha, uma maravilha holográfica. Temos, então, mentes holográficas vivendo em corpos holográficos, em sociedades holográficas que, por sua vez, estão preenchendo universos holográficos [...] Nós temos argumentos físicos para nós dizermos que o ser humano é um ser holográfico. Cada um desses pontos holográficos do corpo são regidos por símbolos e planetas.”  (Ademar Eugênio de Mello - Astrólogo e Matemático)











“A astrologia está viva, como o fluxo da evolução do próprio pensamento humano, para ajudar-nos a entender melhor o tempo, o nosso tempo, a organizar as doze áreas da experiência humana, a compreender os ciclos, a pensar em termos de qualificação das demandas de cada momento, e com isso dar significados para a experiência da busca de transcendência a abarcar a existência de outras dimensões da realidade. Não mais como escapismo, ou como forma de alimentar a superstição e a ignorância, mas como Consciência, e a partir dela, a compreensão da ordem harmônica perfeita que rege todo o Cosmos, da qual fazemos parte, somos constituídos e portanto co-criadores."  (José Maria Gomes Neto) 







“Através do estudo da astrologia aprendemos a não culpar, mas a compreender, a não sermos infelizes ou revoltados, mas a conhecer a nós mesmos e ao nosso próximo, encontrando a harmonia da vida e nos religando à Fonte da Luz." (Emma Costet de Mascheville - Astróloga










“Esta para mim é a grande missão do astrólogo do século 21. É ajudar as pessoas a domar o seu ego e despertar nelas o que há de melhor em termos de virtudes, de dons, de capacidades e de talentos. Mantendo ao mesmo tempo, sustentando para essa mesma pessoa seu consulente, a esperança. Se conseguirmos controlar o ego através de uma análise astrológica, uma coisa muito difícil que exigiria ajuda de terapeutas, de florais, etc. Mas é possível. Nós poderíamos dizer então, que estaríamos criando uma geração de pessoas de boa vontade [...] Acredito que seja a astrologia do século 21 que liga ciência à astrologia, que liga arte à astrologia, que liga o cosmos, a História, o destino humano à astrologia e que liga o milagre da vida em todos os seus níveis à astrologia. São maravilhas sem dúvida que vão revelar o que para nós ainda são profundos mistérios."  (Ademar Eugênio de Mello – Astrólogo e Matemático)








A Liberdade em Aquário
Um Novo Impulso Astrológico
Uma Energia Maior em Capricórnio
(http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/8482)



Nenhum comentário:

Postar um comentário