_______________________________________________________

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

OS ESPELHOS









“O coração do sábio tal como o espelho,
 deve a tudo refletir sem todavia macular-se.”   












“A realidade não é, por conseguinte, algo objetivo que existe ‘lá fora’, mas sim algo subjetivo ‘aqui dentro’; além disso, é distinta para cada ser humano. Logo, tudo isto faz com que tu sejas o quê? Serás tu um ‘padrão implícito’ de carne e osso ancorado num mundo sólido? Ou és uma imagem difusa de um ‘padrão implícito’ de um holograma, desdobrando-se no meio de um imenso redemoinho de padrões maiores?”  (Seraphis Bay) 


















“Sob o ponto de vista não somente da ‘Ciência Espiritual’, mas também da ciência quântica contemporânea, todas as experiências de vidas detectadas e observadas subatomicamente são partes integrantes de uma grande ‘Rede Holográfica’, inclusive o próprio ser humano. Ou seja, as realidades que vivenciamos já estão sendo observadas pela ciência acadêmica como projeções de uma ‘Rede de Espelhos’, que refletem emissões de raios de luz. A assunção desta realidade por parte de nossos cientistas terrestres vem a confirmar as ‘Instruções Espirituais’ que sempre nos encaminharam para esta verdade. Talvez, com um pouco mais de abertura, flexibilidade e pesquisa, algum dia, os cientistas acadêmicos da Terra possam unir as suas experiências com as dos ‘Iniciados Místicos’, que sabem por vias internas diretas que todos nós somos projeções dos espelhos cósmicos celestes, que incluem os planetas, sóis, estrelas, galáxias, universos e o próprio ser humano. Aqui na Terra, e dentro do projeto evolutivo proposto para a evolução do Reino Humano, há um momento específico de expansão da consciência humana onde o ser se integra conscientemente à ‘Rede de Holograma da Vida’. Este evento é perfeitamente coordenado pelas iniciativas e respostas que o ser humano dá aos seus chamados internos e que vão se manifestando em sua vida externa, num sistema de provação de experiências que vão desenvolvendo uma maestria sobre a vida como um todo.” (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais”, págs 78 e 79, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2012












“O autoconhecimento é essencial, mas não pode ser en­contrado nos livros; o autoconhecimento resulta de obser­vações a nós mesmos no espelho das relações, revelador do funcionamento total da mente.”   (Krishnamurti)










“Eu diria que a astrologia deverá estar seguindo os passos do novo paradigma que está influenciando toda a ciência e toda a filosofia, que é conhecido como o paradigma holográfico [...] Muitas coisas enigmáticas como, por exemplo, o mistério da enorme capacidade da memória no ser humano é explicado hoje por hologramas construídos dentro da mente. Hoje, a própria visão do Universo, das partículas atômicas, dos átomos e das galáxias estão dentro de hologramas percebidos por cérebros holográficos [...] Podemos dizer em termos astrológicos que o registro akáshico ou o holograma social é formado por bilhões de mapas, ou bilhões de hologramas astrológicos e eles não estão soltos, mas interligados. Podemos dizer que esse seria o holograma da humanidade formado por sete bilhões de mapas, mas eles não são totalmente isolados. Cada mapa desses sete bilhões tem contato com os outros sete bilhões, e cada mapa está falando da humanidade. Então, essa conexão de energia entre o nosso mapa e o mapa de outrem é uma ligação holográfica. Esse panorama completo de hologramas com suas leis próprias formam uma maravilha, uma maravilha holográfica. Temos, então, mentes holográficas vivendo em corpos holográficos, em sociedades holográficas que, por sua vez, estão preenchendo universos holográficos [...] Nós temos argumentos físicos para nós dizermos que o ser humano é um ser holográfico. Cada um desses pontos holográficos do corpo são regidos por símbolos e planetas.” (Ademar Eugênio de Mello - Astrólogo e Matemático















“Para redescobrir o agora, precisamos olhar para trás, olhar para o lugar de onde viemos, para o estado original. Olhar para trás, nesse caso, não significa olhar para trás no tempo, retroceder milhares de anos. Significa olhar para trás em nossa própria mente, olhar para um ponto anterior ao começo da história, anterior ao início do pensamento, anterior à eclosão de qualquer pensamento. Quando estamos em contato com este solo original, as ilusões do passado e do futuro nunca nos confundem, pois somos capazes de permanecer continuamente no agora. Esse estado original do ser é comparável a um espelho primordial, cósmico. Primordial, aqui, significa incondicionado, não causado por nenhuma circunstância. O que é primordial não é uma reação a favor ou contra uma situação qualquer [...] à semelhança do espelho, é capaz de refletir tudo, do mais óbvio ao mais sutil, e continua a se manter como é. O quadro de referência básico do espelho cósmico é extremamente vasto e está absolutamente livre de qualquer predisposição: matar ou curar, esperança ou medo. A maneira de olhar para trás e vivenciar o ser do espelho cósmico é simplesmente relaxar. Relaxar, nesse caso, é algo muito diferente de amolecer ou ficar à toa [...] Aqui, relaxar significa relaxar a mente, deixar de lado a ansiedade, os conceitos e a depressão que normalmente nos aprisionam [...] Durante a meditação não nos colocamos nem ‘a favor’ nem ‘contra’ as experiências. Ou seja, em vez de louvar determinados pensamentos e reprovar outros, adotamos uma atitude imparcial. Deixamos que as coisas sejam como são, sem julgamento, e assim nós mesmos aprendemos a ser, a expressar nossa existência de maneira direta e não-conceitual. Esse é o estado ideal de relaxamento, um estado que nos permite vivenciar o agora do espelho cósmico. Na verdade, isso já é a vivência do espelho cósmico [...] Quando somos capazes de olhar para as coisas sem dizer: ‘Isso me é favorável ou desfavorável’, ‘Concordo com isso’ ou ‘Não concordo com isso’, estamos vivenciando o ser do espelho cósmico, a sabedoria do espelho cósmico.”   (Do Livro “Shambhala - A Trilha Sagrada do Guerreiro”, Autor: Chögyam Trungpa, Editora Cultrix, 1997) 















“Cabe a cada alma humana presente na Terra se aprofundar em sua própria experiência, para conectar a sua consciência com os outros seres e assim fortalecer a sabedoria multidimensional interligada que nos une com a Fonte. A rede de luz do ‘Grande Holograma’ para a Terra está se fortalecendo como nunca antes. A iluminação de um ser humano se confirma e se fortalece com a presença de um outro ser iluminado, e assim a rede vai se expandindo. A sabedoria se reconhece na própria sabedoria e, desta forma e neste momento, a entidade que rege o Reino Humano está selecionando e fazendo despertar aqueles que irão permanecer na Nova Terra, que já está perceptível para algumas almas mais sensíveis. De outra forma, os mais desatentos e insensíveis sentirão grandes dificuldades para lidar com as novas correntes de luz advindas dos espelhos cósmicos para este planeta.” (Do livro “COMANDO ESTRELINHA, Temas Transcendentais”, págs 81 e 82, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2012













“Neste atual momento cósmico, assim como a Terra está tendo os seus eixos centrais deslocados, todo o sistema solar está passando por um reposicionamento sideral para uma nova ordenação orbital. Este evento cósmico desencadeará transformações nas consciências das almas humanas terrenas e poderá gerar desequilíbrios psíquicos nos mais sensíveis e despreparados. Assim como os astronautas perdem estas referências astrológicas de Samsara, quando saem da órbita terrena, e necessitam de amparo psicológico quando retornam, a humanidade estará se submetendo, aos poucos, a uma renovação sutil de referências astrológicas equivalentes. Desta forma, a ação de Júpiter, Saturno, Vênus, Mercúrio, Marte, etc... sobre as consciências humanas não exercerão mais os mesmos propósitos. Tanto estes espelhos astrológicos emissores de energias, quanto os receptores das consciências humanas terrenas redimensionarão os seus níveis de interação.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”,pág. 198, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2011)














Nenhum comentário:

Postar um comentário