_______________________________________________________

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

A AUTORREALIZAÇÃO







“A autorrealização, um dia, será reconhecida como a verdade essencial de todas as religiões do mundo.” 
(Paramahansa Yogananda)














“Não há como o ser humano fugir ou esconder-se de si mesmo e da própria vida. Sua consciência é uma extensão inseparável e indivisível da consciência holística de Deus, interdependente dos diversos níveis da criação. Experimenta um caminho de maturação, aperfeiçoamento, autoconhecimento e autorrealização fundido na unidade. Em última instância, somos o todo se autodesenvolvendo [...] Mesmo diante de toda a aspiração e todo o esforço pessoal que um ser possa fazer para atingir a autoiluminação e se autorrealizar, é necessário uma série de conjunturas, de contextos e de maturações. Neste ínterim, aquém deste esforço pessoal, o momento vai confluindo no espaço-tempo naturalmente de forma oculta. Enfim, há a convergência sincrônica para o cosmos [...] Um ser iluminado e autorrealizado tem capacidade de conviver com altos níveis de ignorância dos homens comuns sem se deixar contaminar. Relaciona-se com seres impuros distanciadamente, mantendo a sua consciência o mais elevada possível em direção aos mundos superiores. Encontra-se naquele estado regido por leis que lhes amparam e protegem. Possui um nível de vida interno elevado que, quando necessário, se manifesta externamente. Possui recursos energéticos conscientes para reverter situações desarmônicas e promover curas e paz [...] Mesmo após o encontro monádico, a experiência com o vazio e a autorrealização divina, o ser não descarta a funcionalidade do seu ego e reconhece a importância da sua natureza inferior. Inunda-lhe com a luz superior e o direciona para o usufruto de seu dharma. Transforma o seu ego em um benemérito servidor [...] Um ser autorrealizado está para a vida ilusória assim como que um mergulhador nas profundezas está para o oceano. Ambos permanecem imersos em habitats que não correspondem às suas naturezas, mas se nutrem de uma respiração consciente que sustenta a conexão com as suas realidades originais [...] A vida normal do homem comum é pautada por medos. Um dos seus principais medos ocultos é o de descobrir-se, saber quem o é em profundidade. Enquanto ele permanecer na mesmice de sua rotina diária, sem se confrontar, satisfazendo os seus desejos mais baixos, alimentando o ego com as falsas ilusões em pequenas realizações é aí que a sua consciência vai se estagnar. A essência do seu propósito existencial continuará distante do seu alcance. Muitos seres humanos desperdiçam dezenas de encarnações entretidos com as miragens e as ilusões do mundo de maya. Atrasam as suas iluminações e autorrealizações, não se consagram e ficam presos aos seus próprios sofrimentos sem perceber que os estão alimentando, mantendo-os em uma roda cíclica de encarnações compulsórias [...] O ser autorrealizado não se preocupa com o seu destino humano sobre a Terra, apenas se ocupa com o que lhe achega a cada momentum. Entrega o seu destino em voto sincero à vontade dos céus. Sabe que a Fonte sempre o acompanha e o acolhe, guiando-o para onde e com quem deve estar, em um movimento sincrônico e perfeito interdependente de várias realidades unificadas.” (Do livro “VIA TERRA, caminhos da luz”, Horácio Netho)                                                                                                                                                                                 
















“O indivíduo autorrealizado tem total controle da energia sexual. Não tem mais desejos nem paixões. Não necessita de regras de disciplina. Procria quando necessário a título de serviço: prover corpos físicos para almas evoluídas. Nenhum conselho e nenhuma orientação externa é cabível ao indivíduo deste nível.”      (Paul Brunton)
















“Acima do estado de santidade e de iluminação, um ser autorrea­lizado representa uma consciência humana cósmica desperta, já livre de Samsara e mestre de si próprio. Este ser difere-se de um santo ou um ilu­minado por se apresentar, voluntariamente, nos planos materiais deste planeta Terra. Um ser autorrealizado tem sua consciência mais elevada polarizada nas vias cósmicas imateriais simbólicas. Tal ser não necessitaria mais estar presente nos planos mais densos deste planeta, porém, op­cionalmente, este ser assume missões com seres imateriais dos Planos Cósmicos para descer aos planos materiais em auxílio à humanidade, já que este ser pode ser uma referência útil como espelho das energias que devem ser refletidas para a evolução desta raça e da própria Uni­dade Celestial. Um ser autorrealizado já transitou com a sua consciência pelos Doze Trabalhos de Hércules, absorveu os aprendizados dispostos pelas energias planetárias e dos arquétipos astrológicos deste sistema solar para a Terra. Tornou-se um Mestre dos elementais básicos (água, terra, fogo e ar) e os consumiu no éter de sua aura cósmica. Incorporou a com­paixão de Buda, percebendo as intenções das manifestações planetárias nas suas respectivas dimensões. Acolheu o Amor Sabedoria do Cristo, energia mister que move este sistema solar. Completou o aprendizado da dualidade que sustenta as árvores da vida e da morte, expostas na Caba­lah. Enfim, tornou-se um com os Mestres Ascensionados que orientam a evolução deste planeta, a partir dos planos imateriais. Atualmente, com o reconhecimento do evento de Federação da Terra à Confederação Intergaláctica, através da Federação de Sírius, al­guns seres autorrealizados estão sendo revelados como Comandantes Estelares.”  (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, págs 96 e 97, HorácioNetho, Ed. Alfabeto, 2011)









COMANDANTES - Consciências e Hierarquias que dirigem, do ponto de vista espiri­tual, áreas de trabalho, naves ou obras do Plano Evolutivo. São seres autorrealizados, em geral provindo de mundos distantes. Dedicam-se ao cumprimento do Plano Evolutivo, e formaram vínculos com as leis superiores e com energias elevadas, inconcebíveis para a mente do homem terrestre de hoje. A irradiação desses seres tem alcance equivalente ou maior que a dos Mestres Ascensionados noticiados pela literatura esotérica. Alguns Co­mandantes não fazem parte nem da Hierarquia Planetária nem da Solar, pois pertencem a outros sistemas estelares. Todavia, qualquer deles é sempre fonte de impulsos para a elevação da vida e para a realização da meta dos Universos.”  (Do livro “Glossário Esotérico”, autor: Trigueirinho, Ed. Pensamento,1994, pág 288)










“A vida humana é cercada de altos e baixos, alegrias e tristezas. Essas experiências devem servir como marcos para o homem. A vida seria sem graça se não houvesse provas e dificuldades. São essas dificuldades que revelam os valores humanos no homem. Você não pode obter o suco da cana sem esmagá-la. Você não pode aumentar o brilho de um diamante sem cortá-lo e fazer muitas facetas. Deve-se descartar sua mesquinhez e desenvolver uma mente aberta através do cultivo do amor. Somente quando você sofrer várias dificuldades poderá experimentar a doce bem-aventurança da autorrealização. Portanto, as dificuldades devem ser bem-vindas e superadas. Quando você superar as dificuldades, terá certeza de experimentar a Divindade. Eu sou Deus. Você é Deus também. Deus não está em religiões, mas em sua mente e em seu coração. Conhecer Deus é o empreendimento mais importante da vida. O ho­mem deve conhecer Deus, sentir Deus, falar com Deus. Isto é realização. Isto é religião.”   (Sathya Sai Baba)
















“O homem autorrealizado também sente fome, sede, irritação, etc., mas elas são percebi­das como algo que está acontecendo na periferia de seu Ser. Sua vida continua sendo uma sucessão de eventos, mas Ele não está apegado a nada e apenas assiste ao que se passa como a um jogo divino (lila). Numa simples conversa, as respostas vêm-lhe à mente junto com as perguntas, sem passar pelo intelecto racional. Um homem autorrealizado necessariamente não exibe um exemplo de vida espiritual, porque na verdade, a verdadeira espiritualidade é uma percepção interna individual e não um comportamento externo específico: está ocupado em viver e não em cuidar do externo. O que é autêntico não faz esforço por parecer autêntico, mas cabe ao falso se fazer parecer autêntico nos mínimos detalhes: a coisa mais parecida com a Verdade é a mentira! Ele harmonizou em si mesmo o caminho da transformação interior com o caminho de estar no mundo cotidiano. Esse estado integral ampliado de consciência se manifesta exteriormente por uma sensação invisível e não mensurável de paz e felicidade, que é despertada naqueles que se aproximam dele. Esse efeito intangível, por si só, é capaz de despertar nos outros profundos anseios e insights. Quando um autorrealizado reencarna para alguma missão específica, ele não mais necessita passar por todo processo disciplinar da filosofia Yoga, pois já atingiu Kaivalya (Libertação) em encarnações anteriores.”   (Do Livro “Em Busca do Eu”, autor: Cláudio Azevedo, Ed. Órion, 2007, págs 172 e 173)








“... se registrou em yogues em estado de superconsciência, chamado de ‘samadhi’ na tradição hinduísta, ondas eletroencefalográficas delta, características do sono profundo sem sonho, enquanto os yogues estavam completamente despertos e de olhos abertos. Neste estado todos os fenômenos paranormais costumam aparecer, embora os verdadeiros mestres plenamente realizados não costumem fazer alarde dessas manifestações. Eles têm um completo controle das suas emoções destrutivas, inclusive o orgulho. Muito mais: eles manifestam, o tempo todo, amor verdadeiro e sabedoria infinita.” (Do livro “Transcomunicação, O Fenômeno Magenta”, autor: Pierre Weil, Amyr Amiden e outros, Ed. Pensamento, 2002, pág 203)








“O homem realizado não tem desejos de dentro, nem tem exigências de fora. Ele é prestativo em se dar e sincero em falar.” (Poema 8 do “Tao Te Ching”, autor: Lao Tsé)








Caminhos de Realização    
Conversas c\ Trigueirinho  
Preparatório, Aprofundamento e Realização no Caminho Espiritual
(http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/8950)


Nenhum comentário:

Postar um comentário