_______________________________________________________

sábado, 27 de fevereiro de 2016

ILUMINADOS - Dalai Lama, Neem Karoli, Ram Bahadur e Amyr Amiden





DALAI LAMA





(Prêmio Nobel da Paz – 1989)





“Minha convocação a uma revolução espiritual é para que haja uma reorientação radical, para em vez da costumeira preocupação de cada um apenas consigo mesmo, possa existir uma ampla comunidade de seres, todos interligados, reconhecendo cada um os interesses dos outros simultaneamente aos seus.”    (Dalai Lama)






“O Dalai Lama é o título de uma linhagem de líderes religiosos da escola Gelug do budismo tibetano, tratando-se de um monge e lama, reconhecido por todas as escolas do budismo tibetano. Também foram os líderes políticos do Tibete entre os século XVII até 1959, residindo em Lhasa. O Dalai Lama é também o líder oficial do governo tibetano em exílio, ou Administração Central Tibetana. ‘Lama’ é um termo geral que se refere aos professores budistas tibetanos. O atual Dalai Lama é muitas vezes chamado de ‘Sua Santidade’ por ocidentais, embora este pronome de tratamento não exista no tibetano, não se tratando de uma tradução. Tibetanos podem referir-se a ele através de epítetos tais como Gyawa Rinpoche que significa ‘grande protetor’, ou Yeshe Norbu, a ‘grande joia’. Acredita-se que o Dalai Lama seja a reencarnação de uma longa linha de tulkus, que optaram pela reencarnação, a fim de esclarecer a humanidade. O Dalai Lama é muitas vezes considerado o chefe da Escola Gelug, mas esta posição oficialmente pertence ao Ganden Tripa, que é uma posição temporária nomeada pelo Dalai Lama (que, na prática, exerce mais influência). Dalai significa ‘Oceano’ em mongol e ‘Lama’ é a palavra tibetana para mestre, guru, e várias vezes referido por ‘Oceano de Sabedoria’, um título dado pelo regime mongoliano a Altan Khan (o terceiro Dalai Lama) e agora aplicado a cada encarnação na sua linhagem. Os dalai lamas são mostrados como sendo a manifestação de Avalokiteshvara, o Bodhisattva da Compaixão, cujo o nome é Chenrezig em tibetano. Após a morte do Dalai Lama, uma pesquisa é instituída pelos seus monges para descobrir o seu renascimento, ou tulku.” (Em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dalai_Lama)










Pergunta: - A que o Senhor atribui a fascinação crescente no Ocidente, especial­mente nos EUA, pelas religiões orientais? Estou me referindo a um número muito grande de cultos e práticas que estão se tornando extremamente fortes na Améri­ca. Nesta era em particular, quais podem ser as razões para esse fascínio? O que o Senhor recomendaria às pessoas que estão insatisfeitas com seu próprio estilo de vida ocidental, pessoas criadas nas religiões mosaicas (Cristianismo, Judaísmo e Islamismo) e que não encontram conforto para sua carência espiritual? O Senhor as encorajaria a buscar esse conforto ainda mais fundo em suas próprias religiões ou a recorrer ao Budismo como alternativa?
Sua Santidade: - Esta é uma pergunta traiçoeira. Claro que, do ponto de vista budista, so­mos todos seres humanos, e todos temos o direito de investigar não só nossa própria religião como também qualquer outra que nos interessa. É um direito nosso. Creio que, no todo, um estudo comparativo de diferentes tradições religiosas é útil. Em geral, acredito que toda religião de vulto tem o potencial de aconselhar muito bem qualquer ser humano, isso não se questiona. Mas devemos sempre ter em mente que pessoas diferentes têm predisposições mentais diferentes. Assim, para alguns indivíduos, um sistema religioso ou filosófico será mais adequado do que outro. O único meio de alguém chegar a uma conclusão apropriada quanto o que é mais desejável para si é através do estudo comparativo. Portanto, é preciso observar, estudar e descobrir que ensinamento se ajusta mais à preferência da pessoa. Esse é o meu sentimento. Não posso aconselhar todo mundo a praticar budismo. Isso eu não posso fazer. Certamente, para algumas pessoas a religião, ou a ideologia budista, é a mais adequada, mais eficaz. Mas isso não significa que seja apropriada para todos.”  (Do Livro “Respostas do Budismo p/ o Mundo Ocidental”, págs 58 e 59, Dalai Lama, Ed. Nova Era,2004)








NEEM KAROLI BABA








"Neem Karoli Baba ou Neeb Karori Baba (falecido em 11 de setembro de 1973, em Vrindavan , Índia), também conhecido por seus seguidores como Maharaj-ji, foi um guru hindu e devoto da divindade hindu Hanuman. Ele é conhecido fora da Índia por ser o guru de um número de americanos que viajaram para a Índia entre 1960 e 1970, o mais conhecido sendo os mestres espirituais Ram Dass e Bhagavan Das, e os músicos Krishna Das e Jai Uttal. Seus ashrams estão em Kainchi, Vrindavan, Rishikesh, Shimla, Bhumiadhar, Hanuman Gadi, Lucknow, Delhi, na Índia e em Taos, Novo México - EUA [...] Ele saiu de casa por volta da época em que seu filho mais novo (a filha) tinha onze anos (1958) e vagou extensivamente em todo o norte da Índia como um sadhu. Durante esse tempo, ele era conhecido sob muitos nomes, incluindo Lakshman Das, Handi Wallah Baba e Tikonia Walla Baba. Quando ele fez tapasya e sadhana em Bavania, em Gujarat , ele era conhecido como Tallaiya Baba. Em Vrindavan , os habitantes locais se dirigiu a ele pelo nome de Chamatkari Baba (milagre baba). Neem Karoli era um adepto ao longo da vida da bhakti yoga, e incentivou o serviço aos outros (seva) como a mais alta forma de devoção incondicional a Deus. No livro "O Milagre do Amor", compilado por Ram Dass, um devoto chamado Anjani compartilha a seguinte conta: - Não pode haver nenhuma biografia dele. Os fatos são poucos, histórias muitas. Ele parece ter sido conhecido por nomes diferentes em muitas partes da Índia, aparecendo e desaparecendo ao longo dos anos. Seus devotos 'não-indígenas' dos últimos anos o conheciam como Neem Karoli Baba, mas principalmente como "Maharaj-ji" - um apelido tão comum na Índia que se pode ouvir muitas vezes um vendedor de chá abordado assim. Assim como ele disse, ele era 'ninguém'. Ele não deu discursos, os mais breves, histórias mais simples eram os seus ensinamentos. Normalmente, ele se sentou ou se colocou em um banco de madeira enrolado em um cobertor xadrez, enquanto alguns devotos se sentaram ao seu redor. Os visitantes vieram e se foram, eles receberam alimentos, algumas palavras, um aceno, um tapa na cabeça ou nas costas, e eles foram mandados embora. Havia fofocas e risadas sobre ele que gostava de brincar. Encomendas para a execução do ashram foram dadas, geralmente em um grito penetrante em todo o composto. Às vezes, ele se sentou em silêncio, absorto em um outro mundo ao qual não poderíamos seguir, mas felicidade e paz derramava-se sobre nós. Havia algo mais do que a experiência dele, o néctar da sua presença, a totalidade de sua ausência ..." (Em: http://en.wikipedia.org/wiki/Neem_Karoli_Baba)








Neem Karoli Baba







"Maharajji estabeleceu pelo menos 108 templos, alimentou milhões de pessoas, aconselhou líderes governamentais e empresariais, realizou o que pode ser chamado de Milagres, influenciou a sociedade americana e indiana atual, trouxe graça para a vida de inúmeras pessoas que sofrem, e todo o tempo manteve-se fora do 'olhos do público'. Acredita-se até o momento, que Maharajji tinha 17 anos de idade quando já sabia de tudo. Isto é para ser entendido como um saber que é realmente incompreensível para você e para mim. A sapiência do que é tudo. O saber de Bhagvan. O conhecimento de Deus. Há histórias contidas neste site e nos livros aqui referidos que a esperança de alguma forma ajuda a contar da Graça e do Amor deste ser verdadeiramente notável. Maharajji não tinha nada e Maharajji tinha tudo. No final dos anos 60, um americano conhecido como Baba Ram Dass, autor de livros que falam de Neem Karoli Baba e centenas de ocidentais foram para o darshan de Maharajji. Maharajji foi evasivo como as histórias falam, mas muitos foram autorizados a estar em Sua presença e contam histórias que são uma maravilha do amor e da graça e lilas e principalmente do respeito. Agora, parece haver três Maharajji do. Um deles é o Maharajji histórico. Este Maharajji parece ter tomado nascimento e viveu uma vida 'rastreável' no tempo. Em segundo lugar, há o 'informe' Maharajji. Este é o Maharajji Maharajji que aparentemente se conecta com a nossa dimensão 'interior'. Em terceiro lugar, há a Maharajji que existe em forma de 'agora', que é o relatado Maharajji visto e experimentado, o Maharajji que nunca realmente morre. Este é o Maharajji que é um "viajante do tempo". Estamos apenas começando a aprender sobre esse Maharajji e alguns de seus efeitos no mundo. Maharajji ensinou muitas pessoas. Esses ensinamentos continuam até hoje. O ensino era muito sutil ou, literalmente, uma pancada na cabeça. Os ensinamentos de Maharajji parecem ter sido totalmente individual. Cada devoto teria a resposta ou a ajuda que precisavam da maneira que era mais adequado às suas necessidades. Quando os devotos se lembravam dele, Maharajji corria para eles para ajudar e protegê-los. Isso parece estar acontecendo até hoje."   (Em: http://maharajji.com/)







RAM BAHADUR BOMJON










“As pessoas esqueceram a conexão entre o ‘si-mesmo’ e o ‘Eu’ mais alto, devido à perseguição de prazeres passageiros. Um dia todas as tais inclinações ao prazer temporário e ao materialismo desaparecerão de nossas religiões. O mundo inteiro e a nossa filosofia vai se modificar e melhorará, no instante em que forem vistos do ponto de vista da meditação.”    (Ram Bahadur)

                                                 






Palden Dorje – Nascido a 09/04/90, em Ratanapuri – Nepal, co­nhecido com o nome budista de Ram Bahadur Bomjon, demons­trou para a humanidade um exemplo dos mistérios que giram em torno das práticas meditativas. Em 2006, Bahadur preparou um espaço para meditar dentro de uma árvore, praticando man­tras e orações. Em seguida, pôs-se em estado meditativo por vá­rios dias consecutivos, sem sequer beber água ou alimentar-se. Dentre as suas instruções temos: unidade religiosa, alimentação não carnívora, prática da meditação, libertação das emoções, etc.”   (Do livro “VIA CORAÇÃO, caminhos da transformação”, pág 214, Horácio Netho, Ed. Alfabeto, 2011)                                                                                                









"Diga ao povo para não me chamar de Buda. Eu não tenho a energia de Buda. Estou no nível de Rinpoche.”  (Bahadur) 



“Palden Dorje tem surpreendido a muitos pelos longos dias em meditação sem comer ou beber. Em 2007, o Canal Discovery Channel produziu um documentário intitulado o 'Menino com Poderes Divinos'. Nos primeiros quatro dias, a tentativa de captar a imagem de Palden Dorje resultaram em vão, pois a câmera não encontrava evidência de um corpo na base da árvore onde ele sentava-se durante a contínua gravação. Contudo, em uma segunda tentativa algumas semanas depois, a produção foi capaz de filmar Palden Dorje durante 96 horas, dia e noite, constatando que durante esse tempo ele não recebeu qualquer água ou alimento. Segundo avaliam cientistas no documentário, em pessoas normais esse comportamento resultaria em óbito, motivado por falha renal depois de poucos dias sem beber qualquer líquido. O menino entretanto, não mostrou nenhum sinal da deterioração física clássica causada pela desidratação. Além da Discovery Channel comprovar que ele sequer se moveu durante esse período, especialistas em nutrição ficaram pasmos com o fato de que sua pele não ficou ressecada e que, mesmo estando a no máximo 15 graus Celsius (e talvez abaixo de zero durante a noite), por vezes gotas de suor escorriam pelo seu rosto. Em 19 de Janeiro de 2006, as suas vestes pegaram fogo espontaneamente, mas nenhum vestígio de queimaduras foi encontrado no seu corpo apesar de prolongados minutos de exposição ao fogo, conforme testemunha um vídeo recolhido pelos seus fiéis em Bara. Dorje nasceu de uma família simples de agricultores e foi o terceiro de cinco filhos. Sua mãe conta que durante a gravidez de Bomjon ela se tornou incapaz de comer carne sem adoecer. Seu filho igualmente nunca aceitou a carne e desde pequeno já se ausentava de casa por longos intervalos para meditar. Demonstrava grande felicidade ao ver um lama ou uma pessoa sagrada e meticulosamente imitava-os. Ainda segundo a narrativa de sua mãe, Palden Dorje sempre levou os seus estudos a sério e raramente brincava com outras crianças, decidindo em vez disso permanecer sozinho. Recusava-se a participar de disputas e foi sempre calmo. Seu passatempo preferido era dedicado à escrituras sagradas e a meditação. Diante desse comportamento, seu pai o enviou para estudar com dois Lamas em sua aldeia. Depois que Ram Bomjon decidiu abraçar uma vida religiosa, ele foi levado para ser educado pelo Guru Som Bahadur Lama que vivia em Sudha. Palden Dorje foi iniciado junto com um grupo de nove outros estudantes, mas recusou-se a cortar o seu cabelo antes da iniciação, rompendo uma tradição budista. Foi depois desta iniciação que recebeu o nome budista. Conforme os costumes, os iniciados deveriam meditar durante até um mês em uma caverna. Seu professor Som Bahadur Lama ficou surpreso com a tranqüilidade de Palden Dorje ao adaptar-se à situação, requerendo pouco alimento. Depois de concluir a sua educação budista durante dois anos, todos os nove iniciados foram a Lumbini, o lugar de nascimento do Senhor Buda, por turismo. Palden Dorje foi fortemente influenciado por este lugar e aprofundou ali a sua determinação religiosa. Os outros oito iniciados retornaram, mas ele recusou voltar. Em vez disso, ele foi a Dehradun para aumentar a sua educação religiosa com os Lamas de Dehradun e depois retornou a cidade à beira do lago de Pokhara. Em seguida atravessou um período enfermo e pediu à sua família para evitar alcool e carne, afirmando que isso poderia piorar seu estado. Logo depois, sem estar totalmente recuperado, desapareceu. Palden Dorje é membro da comunidade Tamang, cuja maioria pratica o Budismo Vajrayana. A história de Palden Dorje ganhou popularidade porque em alguns aspectos é parecida com a lenda de Jataka Nidanakatha, sobre a iluminação de Gautama Buda e para alguns dos seus devotos, Ram é a reencarnação de Buda. Contudo, no dia 8 de Novembro de 2005, Dorje surgiu e disse ao público: - Diga ao povo para não me chamar Buda. Não tenho a energia do Buda."  (Extraído em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Palden_Dorje)






"Apesar de haver tantas ideologias e religiões, eles estão falando todos sobre a mesma coisa. Os seres humanos são incapazes de ver além das suas religiões e ideologias. Alguns obstinadamente seguem as suas religiões só para descobrir que se arrependem de sua vida inteira. Embora os textos religiosos pareçam ser diferentes, eles personificam as mesmas ideias. Hoje, estamos à procura de um fim à violência e o caminho à bondade amorosa. Ainda assim, isto não é encontrado em lugar algum e hoje pessoas estão assustadas, aterrorizadas e sem paz. Elas são impelidas à agitação devido ao seu materialismo. Uma vez que a visão modifica-se, os seres sensíveis não podem ser mais infelizes ou maus. Assim o mundo inteiro pode modificar os seus caminhos. Com a orientação própria, será dado a seres sensíveis indefesos a graça para ganhar a sabedoria do caminho à liberação.”  (Bahadur)  








Link p\ Vídeos de Ram Bahadur Bomjon:

Ram Bahadur - 1
Ram Bahadur - 2






AMYR AMIDEN








“Tenho sido um peregrino do tempo, cuja nave desviou sua rota e pousou por um breve período no espaço entre a existência e o infinito.”  (Amyr Amiden)







“Amyr é um brasileiro de origem árabe, residente em BRASÍLIA-DF, descendente de famílias de emigrantes que vieram da Arábia Saudita para o Brasil. Amyr despertou seus poderes de psicocinese desde os 7 anos de idade, conseguia mover os objetos com a sua força mental e ao seu redor ocorriam fenômenos de ‘POLTERGEIST’, os objetos levitavam, os metais entortavam, ocorriam estranhos fenômenos de luzes paranormais, etc... Aos 9 anos de idade, Amyr começou à realizar fenômenos de MATERIALIZAÇÃO DE OBJETOS VINDOS DO NADA, os objetos surgiam em pleno ar, caiam no chão e assustavam os membros da sua família. Logo, Amyr descobriu que podia DESMATERIALIZAR O SEU CORPO, tornando-se impalpável como um fantasma e invisível, e depois podia reverter à forma sólida comum. Várias vezes os familiares de Amyr viram ele levitando, flutuando ou semidesmaterializado, o que assustava bastante a sua família! Achando que Amyr estava possuído pelos DJINNS (Demônios na cultura islâmica), o Pai de Amyr levou-o para ser analisado por um SHEIK da Religião Muçulmana. O SHEIK era integrante de uma Escola Mística Sufi, e logo percebeu que AMYR não estava possuído, mas era um ABDAL (‘UM TRANSFORMADO’), nome que os Mutantes Paranormais são chamados no Misticismo Sufi. Depois disso, Amyr começou a ser ensinado pelos SUFIS, que foram explicando as origens dos seus podêres, e orientando-o no seu Desenvolvimento Mental e Espiritual. Aos 10 anos de idade, AMYR começou à treinar os seus dons de MATERIALIZAÇÃO DE OBJETOS, conseguindo teleportar qualquer tipo de objeto de um local distante para as suas mãos. Certo dia, a mãe de AMYR estava chorando de saudades da sua terra natal na ARÁBIA SAUDITA, Amyr ficou triste ao ver aquela cena, concentrou-se mentalmente na foto de um Oasis com Tamarindeiras que existia na sala da sua casa... de repente Amyr percebeu que seu corpo desmaterializou-se; ele teleportou-se para um local que não conhecia, mas que reconheceu ser um deserto com várias arvores de Tamarindos. De repente, um homem alto e misterioso, vestindo um turbante azul, deu uma fruta de tamarindo e algumas folhas para Amyr segurar e disse: "Volte, criança...leve este presente para a tua mãe!" E logo depois Amyr materializou-se novamente na sala da sua casa, assustado e aturdido !!! Com a fruta de Tamarindo nas mãos, levou-a para a sua mãe, que caiu em prantos ao ver esta fruta nativa da Arábia! Os poderes de Amyr tornaram-se conhecidos por toda a Comunidade Muçulmana, e logo os Mestres Sufis levavam pessoas doentes para Amyr tratar. ELE COLOCAVA AS MÃOS EM CIMA DO FERIMENTO, CONCENTRAVA-SE, E LOGO A PESSOA CURAVA-SE QUASE INSTANTANEAMENTE! As emissões de Bioenergia de Amyr eram extremamente potentes, anulavam a dor e cicatrizavam qualquer tipo de ferimento! Amyr fazia também a ENERGIZAÇÃO DA ÁGUA, colocada dentro de jarros, e que transformava-se em remédio para ser bebida pelos doentes ! Amyr começou também a desenvolver a TELEPATIA e a VIDÊNCIA, podendo enxergar qualquer energia não-visível aos olhos humanos comuns! Começou à ter contatos telepáticos com estranhos Seres Energéticos, eram seres altos, com mais de 2 metros de altura, de face alongada, que brilhavam numa Luz esverdeada fosforescente! Estes Seres apareciam à noite no quarto de AMYR, materializavam-se e conversavam com ele, orientando-o como usar os seus poderes de forma positiva e saudável! Amyr achava que eles eram EXTRATERRESTRES devido à luz esverdeada que eles emitiam, mas os seres explicaram que eram MUTANTES INTERDIMENSIONAIS, seres mais evoluídos do que os humanos, mas pertencentes à uma evolução paralela e não-hominídea do nosso próprio planeta. ELES SE DENOMINAM DE "GRUPO MAGENTA" OU "ANJOS", são seres mais evoluídos do que o homem terrestre e ensinaram à Amyr como Controlar e Amplificar os seus poderes de Teleportação de Objetos. Com o auxílio do GRUPO MAGENTA, AMYR aprendeu à teleportar Objetos à distância e depois rematerializà-los onde desejar, para espanto total das pessoas que presenciavam tais fenômenos!!! Várias vezes, Amyr demonstrou também fenômenos de TRANSFORMAÇÃO DE UMA SUBSTÂNCIA EM OUTRA, como cerveja em outras bebidas, vinho ou água, óleos que apareciam do nada, etc... DURANTE UMA ÉPOCA DA SUA JUVENTUDE, TODAS AS BEBIDAS DO ALMOÇO E DAS REFEIÇÕES SE IMPREGNAVAM DE PERFUME, tornando-as intragáveis! A Partir dos 20 anos de idade, Amyr começou a exalar PERFUMES PARANORMAIS, vindos do nada, por todos os ambientes por onde ele transitava! OS SUFIS O APELIDARAM DE "O HOMEM DOS PERFUMES MILAGROSOS", que deixava as Mesquitas cheias de doces aromas de cânfora, mel, rosas, lírios, alfazema ou eucalipto!!! Amyr tornou-se um Paranormal extremamente respeitado na comunidade muçulmana de Brasília, e sua fama extrapolou as fronteiras do nosso país. Amyr, porém, é totalmente avesso à publicidade de mostrar os seus Poderes em programas de TV, ele foi convidado para fazer aparições nos Programas GLOBO REPÓRTER, FANTÁSTICO, SBT REPÓRTER e vários outros, mas sempre recusou-se à isso. Amyr é um discípulo de Mestres Sufis Islâmicos, por isso ELE NÃO ACEITA DINHEIRO NEM PRESENTES para curar ou para fazer suas demonstrações de Psicocinese. A LEI ISLÂMICA É MUITO RÍGIDA EM RELAÇÃO A TAIS ASSUNTOS DE PODERES PSÍQUICOS, e Amyr seria considerado um Traidor dos ensinos do AL-KORÃN se ele passasse a cobrar pelas suas Curas ou Demonstrações! Apesar de ser contrário à publicidade, AMYR teve contatos com dezenas de pesquisadores de Brasília, que puderam atestar e ver por si mesmos seus fantásticos poderes de TELETRANSPORTAÇÃO, PSICOCINESE, LEVITAÇÃO, CURA, ETC... Ele tornou-se amigo da Médica e pesquisadora francesa JANINE FONTAINE, que escreveu um livro sobre os poderes de AMYR, editado em 1987 na França. Tornou-se amigo também do famoso Psicólogo PIERRE WEIL (recentemente falecido), que assistiu diversas vezes as Materializações e Teleportes realizados por Amyr, e que foram assistidos também por outros Psicólogos do círculo de amigos de Pierre Weil. Pierre Weil escreveu um livro chamado "LÁGRIMAS DE COMPAIXÃO", editado em 1999, onde faz um extenso relato das Teleportações e Poderes de Amyr. A convite de Pierre Weil, Amyr foi estudado e investigado pelos pesquisadores da UNIPAZ BRASIL - UNIVERSIDADE HOLÍSTICA INTERNACIONAL, entre 1994 e 2001, que procuraram explicar as causas das suas PARAMATERIALIZAÇÕES e TELEPORTAÇÕES que aparentemente contrariam as leis da física comum! Amyr foi estudado pelos mais importantes pesquisadores da UNIPAZ durante 8 dias consecutivos, e conseguiu realizar 20 sessões de demonstrações parafísicas, com a realização de 91 Fenômenos Parafísicos diferentes! Os pesquisadores da UNIPAZ documentaram os seguintes fenômenos: 

1- MATERIALIZAÇÕES DE OBJETOS:
A- Pedaços de metal;
B- Medalhões com inscrições;
C- Colares de Marfim;
D- Pedras preciosas e jóias;
E- Diamantes;
F- Folhas e pétalas de flores cheias de perfume;
G- Mandalas que apareciam em guardanapos, portas e paredes;
H- Óleos perfumados que apareciam exsudando nas paredes.

2- TELEPORTAÇÃO DE:
A- Um livro raro sobre Yoga datado de 1922;
B- Pedras preciosas, medalhas, jóias, teleportadas de um lugar para outro;
C- Pertences dos pesquisadores, que sumiam e depois se rematerializavam novamente.


Perguntado pelos pesquisadores sobre COMO ELE PODIA FAZER TAIS PROEZAS, aparentemente impossíveis e "mágicas", AMYR disse que desde criança ele podia "entrar" nos locais além do nosso espaço-tempo, ali ele detecta telepaticamente onde está o objeto ou então os seus amigos ULTRADIMENSIONAIS mostram o objeto para ele, eles teleportam o objeto até o local; ou então o próprio Amyr teleporta-se até lá e traz o objeto desmaterializado na forma de um modelo de energia, depois ele faz o objeto se rematerializar de novo na nossa Dimensão Física. Amyr também disse que se o objeto não puder ser teleportado por algum motivo, os seus amigos ULTRADIMENSIONAIS simplesmente criam uma "Cópia" etérica do Objeto, que torna-se físicamente estável por algumas horas, e depois desmaterializa-se novamente!" (Em: http://www.orkut.com/Main#CommMsgs?tid=5286534498871838433&cmm=78895617&hl=pt-BR) 







“Na ordem cósmica todos nós temos um número.” 
(Amyr Amiden) 






AMYR AMIDEN e a CIÊNCIA





“Amyr afirma fazer ‘viagens astrais’, podendo viajar quando quiser e voltar com informações que podem ser checadas posteriormente. Ele disse que houve relatos sobre sua bilocação, mas ele não tem controle ou consciência quando isso acontece. Ele tem poderes de cura e já curou alguns leprosos no estado inicial da doença, mas não em estado avançado. Luzes são geralmente vistas em sua presença quando as ‘materializações’ acontecem.”  (Howard Reed)









“Amyr Amiden sentiu-se nostálgico, lembrando do ‘homem verde’, teoricamente de outro planeta, que viu pela primeira vez quando tinha 8 anos de idade. Foi dito a ele, mais tarde, que esse homem e as outras ‘pessoas verdes’ que ele havia conhecido, tinham vindo do planeta ESNAK, localizado em outra galáxia [...] Amyr Amiden nos disse que sonha frequentemente com os habitantes do planeta ESNAK. Ele nos disse que não há noite por lá nem estrelas visíveis, está sempre claro e a atmosfera é invariavelmente rosada... ninguém em ESNAK precisa comer, porque a energia é obtida através de mecanismos de transferência. Em ESNAK, as casas são transparentes. Pessoas têm sentimentos, mas são calmas e prazerosas. Os habitantes de ESNAK vêem a Terra como um planeta em evolução, no início de sua evolução. Eles acreditam que a Terra é um planeta feminino e gostam dela devido a essa característica e à sua abundância de água. Não há morte em ESNAK, somente transformação. Quando as pessoas atingem o fim de suas vidas, elas voltam ao solo e se transformam em substâncias parecidas com cristal, que são a base de outras formas de vida. Amyr Amiden disse que gosta tanto do tempo que passa em ESNAK, que frequentemente se arrepende de voltar à Terra. Mas ele não é o único capaz de ir a ESNAK, pessoas de um planeta podem ir a outro para propósitos de evolução espiritual. Amyr Amiden chegou à conclusão que Deus pode ser conceitualizado como ‘energia que pensa’ e como luz do Universo.”  (Do livro “Transcomunicação, O Fenômeno Magenta”, autor: Pierre Weil, Amyr Amiden e outros, Ed. Pensamento, 2002, págs. 89 e 91)










“Há um homem que pode criar a matéria e há um homem que somente quer irradiar amor. A meu ver, Amyr coloca-se ao lado do amor. Significa que, através do amor, os seus poderes parapsicológicos, os seus carismas, se transformam em serviço. Parece-me que Amyr renunciou aos poderes do mago, abrindo-se aos poderes do servidor. Colocando-me a questão de qual seria a missão do Amyr para nós e para o mundo, parece-me, ainda, pouco precisa. A primeira resposta que ela me ocorre é que consiste na tarefa de maravilhar as pessoas, de provocar interrogações, estimular as pesquisas dos cientistas e despertar a consciência de qualquer pessoa para essas maravilhas. Não existia nada e uma pedra cai, uma joia se manifesta, um óleo começa a emergir numa parede ou sobre uma rocha, um perfume se irradia e sinais se fazem ouvir...”  (Jean-Yves Leloup sobre Amyr Amiden)



“Amyr é para mim um portal entre dimensões.”
(Pierre Weil - UNIPAZ)







“Perguntei-lhe sobre Deus. Amyr respondeu que tinha um relacionamento de amizade com ele e que não entendia por que há tenta confusão entre as religiões. Nesse momento, ele pediu-me para dar-lhe a minha mão. Pôs a palma da sua mão direita em cima da minha e comentou: - Algo está chegando! Dois ou três minutos depois, ele levantou a sua mão e na minha estava um colar de marfim, que parecia um rosário, com 57 contas. Eu sou membro da Universidade Mundial Brahma Kumaris, que este ano celebra, exatamente, 57 anos de existência!”  (Ken O’Donnell – Brahma Kumaris)






Nenhum comentário:

Postar um comentário